Estar retrô17/02/2012 | 06h10

Espaços de convivência refletem integração com a mata nativa

Ambientes foram criados para minimizar os impactos ao ambiente

Enviar para um amigo
Espaços de convivência refletem integração com a mata nativa Adriana Franciosi/Agencia RBS
Estar valoriza cuidado com o ambiente em valorização da área externa e reaproveitamento de móveis Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS
Maria Amélia Vargas

maria.amelia@zerohora.com.br

Como uma aclamação à vida, o projeto das arquitetas Isabel de Pauli e Élida Honório para a área de convívio da Casa 4 teve seu ponto de partida no respeito ao planeta. Por essa razão, cada canto do Estar Aplauso à Natureza foi criado de forma a minimizar os impactos ao ambiente.

– O espaço foi pensado para uma família que tem como filosofia a consciência ecológica, proporcionando a eles um lugar aconchegante e confortável – define Isabel.

A ideia de reaproveitamento aparece no mobiliário composto por madeira de demolição e pínus de florestamento e nos móveis antigos (e repaginados), que criam uma atmosfera retrô e sofisticada à sala de 51 metros quadrados. Além disso, o conceito ecológico também se aplica às soluções encontradas pelas profissionais: da iluminação feita com LEDs e fluorescentes à lareira à base de etanol.

Natureza em harmonia

Tendo em vista que 75% do Condomínio Marítimo é composto por áreas de preservação, a ampla sala apresenta gigantes panos de vidro para permitir a apreciação da vegetação que a cerca.

Dentro da proposta que coube à residência – Natureza em Harmonia –, a dupla buscou integrar a decoração às belezas da mata nativa.

A simbiose aparece em detalhes: nas peças garimpadas em lojas de artesanato do Litoral, como as garças de cerâmica escolhidas para representar a fauna da região, e nas obras feitas de arame reciclado. Assinadas pelo artista plástico Ricardo Monmany, a escultura de um vaso e a tela com folhas, flores e pássaros ocupam lugares de destaque nas alvas paredes.

Cores luminosas, como a mesa de centro amarela e o tecido xadrez em tons mostarda, rosado e marrom que revestem as poltronas conferem personalidade e finalizam a proposta.

Refeições sem pressa

O período que se passa no Litoral costuma ser propício para prolongar as refeições em momentos de descontração familiar e com os amigos.

Pensando nisso, as arquitetas Vanessa Simoni e Paula Bagatini Fiegenbaum fizeram do Jantar Tempero Certo, de 24,4 metros quadrados, o lugar ideal para um casal que gosta de receber e é antenado nas tendências de decoração e arquitetura.

– A utilização de móveis imponentes em madeira no jantar aquecem o espaço, tornando-o acolhedor – afirma Vanessa.

A proposta das autoras foi criar uma área em que se possa preparar e degustar alimentos com conforto e praticidade, promovendo o convívio das pessoas que habitam a casa por meio da integração do jantar, cozinha e churrasqueira. Toques de elementos da natureza como flores, folhagens e temperos reforçam a ligação entre os ambientes.

– Utilizamos peças diferenciadas, como o trio de lanternas junto ao aparador – completa a arquiteta.

Filosofia oriental

O Lavabo do Mestre, criação do arquiteto Cesar Laureano com a mestre em Reiki Gil Lima, a artesã Bia Freitas e a paisagista Yayoi Arakawa, busca evocar um espaço de relaxamento. Com 2,15 metros quadrados, o pequeno ambiente remete a Buda em diversos pontos decorativos, e outros elementos orientais, como o bambu e o baú de couro sobre a bancada, para construir o ambiente inspirador.

O móvel, em madeira pínus autoclavada e com tratamento para ganhar o aspecto antigo, é complementado pelo grande espelho de moldura branca raspada.

– O espelho é reflexo do interior da pessoa, é como ela se vê, por isso, apostamos no espelho enorme – explica Cesar Laureano.

No piso, cimento branco alisado contrasta com a louça preta, forma de criar um contraste no ambiente claro.

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros