Casa Cor 201225/06/2012 | 07h09

O projeto de Casa Conceito tem características de um loft automatizado

Por meio de um sistema construtivo de tecnologia italiana, a residência ficou pronta em 60 dias

Enviar para um amigo
O projeto de Casa Conceito tem características de um loft automatizado Claudio Fonseca,Divulgação/Claudio Fonseca,Divulgação
Tecnologia e arte são pontos importantes no projeto de interiores do ambiente Foto: Claudio Fonseca,Divulgação / Claudio Fonseca,Divulgação
Maria Amélia Vargas

maria.amelia@zerohora.com.br

Uma moradia erguida em 30 dias e em mais um mês 100% finalizada — com muito luxo e tecnologia — para ser habitada. Essa é a proposta da Casa Conceito, assinada pela arquiteta Lidia Maciel. Por meio de um sistema construtivo de tecnologia italiana, a residência de 220 metros quadrados tem estrutura de aço revestida de placas cimentícias pré-fabricadas. A montagem é rápida e seca.

— A ideia foi construir um espaço inovador, trazendo ao visitante uma nova forma de morar, com uma linguagem diferente, clean e contemporânea — explica a autora.

O projeto de interiores, pensado para um casal ou um solteiro moderno, tem características de um loft automatizado. Ao amplo living de 98 metros quadrados agregam-se o espaço gourmet e a área de jantar. As dimensões generosas do estar comportam um sofá com chaise de cerca de 10 metros de comprimento, duas sofisticadas namoradeiras revestidas de veludo com acabamento em capitonê e um telão de 106 polegadas.

Na varanda de 40 metros quadrados há dois lounges com mobiliário para áreas externas demarcados por ombrelones. O charme fica por conta do aquecedor Allison, uma espécie de abajur com 2,50 metros de altura.

Além da área íntima, com suíte master com spa integrado, a casa tem também um lavabo equipado com TV-espelho de 17 polegadas e imagem nítida. No subsolo estão dispostos o home office e a garagem guarnecida por duas Mercedes.

Comentar esta matéria Comentários (4)

Elisabeth

Assim, para quem quer um imóvel permanente que dure, nada melhor do que a tradicional parede de tijolos. Para saber se você deu sorte na escolha da casa própria, não adianta apenas ¿bater na madeira¿. Mas sim, não esqueca de dar ¿BATIDINHAS NAS PAREDES¿

26/06/2012 | 07h57 Denunciar

Elisabeth

Na enchente de Brisbane em 2011, na Austrália, milhares de pessoas que tiveram suas casas inundadas não puderam voltar a residir nas mesmas pois, ao tentarem lavar as paredes as placas de revestimento ¿drywall¿ se desmancharam, restando apenas estruturas descascadas para serem reconstruidas.

26/06/2012 | 07h51 Denunciar

Elisabeth

As ¿drywalls¿, requerem manutenção frequente, isolamento acústico e térmico extras, bem como prevenção de incêndio especial.O sistema também requer cuidados de estanqueidade e apresenta problemas muito sérios em caso de infiltrações, que podem causar eletrocutamentos e fungos nas cavidades.

26/06/2012 | 07h47 Denunciar

Elisabeth

Há mais de 15 no exterior, não o uso o Drywall por preferência mas sim por uma imposição da indústria da construção neste país. E como arquiteta, acho que o consumidor brasileiro tem também o direito de saber dos problemas no uso de sistemas construtivos como este.

26/06/2012 | 07h38 Denunciar

clicRBS
Nova busca - outros