Nada saudável20/02/2014 | 14h47

Problemas familiares durante a infância podem afetar desenvolvimento do cérebro

Pesquisa aponta que exposição a dificuldades está associada a dimimuição do tamanho do cerebelo

Enviar para um amigo
Problemas familiares durante a infância podem afetar desenvolvimento do cérebro Jessé Giotti/Agencia RBS
Dificuldades familiares, mesmo leve e moderada, pode afetar o cérebro em desenvolvimento Foto: Jessé Giotti / Agencia RBS

Uma pesquisa revelou que a exposição a problemas familiares durante a infância e início da adolescência afeta o desenvolvimento do cérebro, o que pode levar a futuros problemas de saúde mental.

Liderado pelo psicólogo Nicholas Walsh, o estudo utilizou a tecnologia de imagens cerebrais para escanear os adolescentes com idades entre 17 e 19 anos. Constatou-se que aqueles que experimentaram leve a moderada dificuldades familiares entre o nascimento e os 11 anos de idade tinham desenvolvido um cerebelo menor — área do cérebro associada ao aprendizado de habilidades, regulação do estresse e controle sensorial e motor.

Os pesquisadores também sugerem que um cerebelo menor pode ser um indicador de risco de doença psiquiátrica no futuro.

O objetivo foi determinar o impacto, em adolescentes então saudáveis, da exposição a formas mais comuns, mas relativamente crônicas, de problemas no núcleo familiar. Estes incluiriam tensão entre os membros da família, abuso físico ou emocional, a falta de afeto ou comunicação entre os parentes, e os eventos que tiveram um impacto prático na vida familiar diária e poderiam ter resultado em problemas de saúde, de convivência ou escolares.

De acordo com Walsh, os resultados são importantes porque a exposição a adversidades na infância e na adolescência é o maior fator de risco para o desenvolvimento de uma doença psiquiátrica no futuro. Além disso, essas patologias são um enorme problema de saúde pública e a principal causa de incapacidade e deficiência das pessoas no mundo.

— Conseguimos mostrar que a exposição a dificuldades familiares, mesmo leve e moderada, pode afetar o cérebro em desenvolvimento. A redução da exposição a ambientes sociais adversos no início da vida pode aumentar o desenvolvimento cerebral e reduzir os riscos de saúde mentais na vida adulta — acrescenta o psicólogo.

A pesquisa analisou 58 adolescentes e seus pais foram convidados a recordar eventos negativos que seus filhos haviam experimentado entre o nascimento e até os 11 anos de idade.

— Sabemos que os fatores de risco psiquiátricos não ocorrem de forma isolada, mas agrupados. Usando uma nova técnica, mostramos como o agrupamento geral de adversidades afeta o desenvolvimento do cérebro— esclarece o cientista.

Os pesquisadores também descobriram que aqueles que as crianças que tinham experimentado problemas familiares eram mais propensas a ter uma doença psiquiátrica diagnosticada, tinham um dos pais com distúrbio de saúde mental e percepções negativas de como sua família funcionava.

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga @bemestarzh no Twitter

clicRBS
Nova busca - outros