Maternidade28/02/2014 | 06h02

Bebês que nascem por cesariana têm mais chance de ter excesso de peso na idade adulta, relata estudo

Doenças como asma e diabetes tipo-1 também podem ser desenvolvidas mais facilmente por pessoas nascidas através do procedimento

Enviar para um amigo
Bebês que nascem por cesariana têm mais chance de ter excesso de peso na idade adulta, relata estudo Stock.Xchng/Stock.Xchng
Compressão do bebê durante o parto vaginal parece influenciar genes relacionados ao metabolismo Foto: Stock.Xchng / Stock.Xchng

As chances de estar acima do peso ou obeso são 26% maiores para os adultos que nasceram por cesariana do que os nascidos por parto normal, segundo estudo realizado pelo Imperial College de Londres. A descoberta é baseada em dados combinados de mais de 38.000 participantes.

Pesquisadores dizem que as mães que escolhem a cesariana devem estar cientes de que pode haver consequências a longo prazo para seus filhos.

Cerca de um em quatro nascimentos na Inglaterra são por cesariana, em torno de duas vezes mais que em 1990. Em alguns países, a taxa é muito maior, com 60% das mães na China e quase a metade no Brasil realizando o procedimento.

Pesquisas anteriores já sugeriam as chances de desenvolver outras patologias a longo prazo, como asma e diabetes tipo-1, também são maiores em crianças que nascem por cesariana.

O novo estudo, que inclui dados de 10 países, constatou que a média do IMC de adultos nascidos por cesariana é quase o dobro dos que vem ao mundo por parto vaginal.

— As cesarianas pode ocasionalmente salvar vidas. No entanto, precisamos entender os resultados a longo prazo, a fim de proporcionar o melhor conselho para as mulheres que estão considerando o procedimento— diz a autora Neena Modi.

— Há mecanismos plausíveis pelas quais a cesariana pode influenciar o peso corporal futuramente. Os tipos de bactérias saudáveis no intestino diferem em bebês nascidos por cesariana e parto normal. Além disso, a compressão do bebê durante o parto vaginal parece influenciar os genes serão ativados, e isso poderia ter um efeito a longo prazo sobre o metabolismo— afirma o colaborador Matthew Hyde.

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga @bemestarzh no Twitter

clicRBS
Nova busca - outros