Trânsito20/06/2012 | 17h34

Gastos com atendimentos a motociclistas aumentam 113% em quatro anos

Acidentes envolvendo motos pressionam a rede pública de saúde e lotam prontos-socorros

Enviar para um amigo
Gastos com atendimentos a motociclistas aumentam 113% em quatro anos Ronald Mendes/Especial
Pela primeira vez, mortalidade de motociclistas supera a de pedestres e motoristas Foto: Ronald Mendes / Especial

Levantamento do Ministério da Saúde mostra que o custo de internações por acidentes com motociclistas pagas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em 2011, foi 113% maior do que em 2008, passando de R$ 45 milhões para R$ 96 milhões. O crescimento dos gastos acompanha o aumento das internações que passou de 39.480 para 77.113 hospitalizados no período.

—O Brasil está definitivamente vivendo uma epidemia de acidentes de trânsito e o aumento dos atendimentos envolvendo motociclistas é a prova disso. Estamos trabalhando para aperfeiçoar os serviços de urgência no SUS, mas é inegável que esta epidemia está pressionando a rede pública — avalia o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

O número de mortes por este tipo de acidente aumentou 21% nos últimos anos – de 8.898 motociclistas em 2008 para 10.825 óbitos em 2010. Com isso, a taxa de mortalidade cresceu de 4,8 óbitos por 100 mil habitantes para 5,7/100 mil entre 2008 e 2010.

Os dados levantados apontam que os jovens são as principais vítimas. Cerca de 40% dos óbitos estão entre a faixa etária de 20 a 29 anos. O percentual cresce para 62% entre 20 a 39 anos e chega a 88% na faixa etária de 15 a 49 anos. Predominantemente homens, em 2010, representaram 89% das mortes de motociclistas, 9.651 óbitos.

Prevenção

Para enfrentar o avanço dos acidentes de trânsito, o Governo Federal expandiu o Projeto Vida no Trânsito a todas as capitais brasileiras. Lançado em junho de 2010, a ação é uma das iniciativas do Ministério da Saúde para prevenir e reduzir a violência no trânsito.

Com recursos do Ministério da Saúde, as capitais poderão ampliar as políticas de prevenção de lesões e mortes no trânsito por meio da qualificação, planejamento, monitoramento, acompanhamento e avaliação das ações a partir de fatores de risco. A meta é estabilizar e reduzir o número de mortes e lesões em acidentes de transporte terrestre nos próximos dez anos, como adesão ao Plano da Década de Ações para a Segurança no Trânsito 2011-2020, recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Comentar esta matéria Comentários (9)

Marcelo

Aumentam os gastos, mas aumenta a arrecadação também. Precisamos mesmo é de discplica e tolerancia.

21/06/2012 | 16h35 Denunciar

Fernando

Devemos trocar as motos por carros? A reportagem não mencionou o quanto cresceu o recolhimento do seguro pago pelos motociclistas. E os condutores de carros não tem sua parcela de culpa nos acidentes? E os ciclistas atropelados por carros? E os pedestres atropelados por carros? Nada?

21/06/2012 | 12h14 Denunciar

Renato

Esse aumento demonstra a ma formação dos condutores de veículos no Brasil. Falta respeito, falta educação e falta fiscalização, pois as infrações ao CTB são comuns e os agentes de trâsito fazem vista grossa à tudo. A solução é simples, aumentar o rigor das punições e punir os infratores

21/06/2012 | 11h20 Denunciar

andrei

Não existe acidente de moto. Existe acidente de trânsito. O problema de trãnsito na verdade é um problema de capacitação, de educação do povo. As autoridade não conseguem educar, quanto mais educar no trânsito. Essa matéria é mais uma desculpa para aumentar o DPVAT, que é um buraco negro, um roubo.

21/06/2012 | 10h29 Denunciar

vítor hugo

1º ponto: Quem esvreve é um motociclista. 2º ponto: A enorme maioria dos acidentes só acontece pq em cima da moto tem um retardado, imbecil, inconsequente, motociclista de meia tigela que acha que é indestrutível. Vítor Hugo

21/06/2012 | 09h59 Denunciar

Anderson

Quanto aumentou a venda de motos no período? o seguro dpvat?as campanhas educacionais? mudou o sistema ridículo de obtenção da carteira de moto? É preciso educação para todos os envolvidos, moto é desrespeitada no Brasil, enquanto lá fora é solução para o caos. Obs: sou motociclista.

21/06/2012 | 09h25 Denunciar

Roger

Agrava-se o fato se a maioria serem autônomos, não contribuírem e não possuírem seguro. Mas temos que ver que por trás tem a empresa que cobra metas de entregas a qualquer custo num transito caótico e desafiam os jovens motobóis a cometerem imprudências e pagarem com sua vida ou sequela.

20/06/2012 | 22h11 Denunciar

Rogério

Enquanto as motos puderem transitar no espaço existente entre os automóveis, continuaremos a ter este massacre. É preciso mudar o Código Brasileiro de Trânsito.

20/06/2012 | 19h33 Denunciar

JOSÉ CARLOS

Para completar a matéria seria interessante que o reporter tivesse levantado o quanto cresceu o recolhimento do seguro pago pelos motociclistas no período. Parece que estão começando a jogar dados para aumento do seguro dos carros quando do licenciamento do veículo.

20/06/2012 | 19h14 Denunciar

Siga @bemestarzh no Twitter

clicRBS
Nova busca - outros