Bom exemplo22/05/2012 | 13h55

Candelária consegue reduzir em 60% os casos de suicídio

Ações do município do Vale do Rio Pardo estão balizando as orientações do Manual de Prevenção do Suicídio

Enviar para um amigo

O bom exemplo da cidade de Candelária, que conseguiu reduzir seus índices de suicídio em 60%, é o balizador das ações do Manual de Prevenção ao Suicídio, lançado na manhã desta terça-feira (22), em Porto Alegre. O objetivo da cartilha é prestar orientações aos profissionais de saúde no combate ao suicídio e também conferir dicas aos pacientes que necessitem de auxílio. Partindo do pressuposto de que o suicídio está relacionado a múltiplos fatores (biológicos, genéticos, psicológicos, sociais, culturais e ambientais), o projeto buscou estabelecer ações de vigilância, prevenção e controle de forma integral.

Candelária foi o município que atingiu melhores resultados de um projeto de pesquisa, realizado entre 2009 e 2011, com foco na criação de uma rede de promoção da vida e prevenção do suicídio. As ações abrangeram também as cidades de Venâncio Aires, Santa Cruz do Sul e São Lourenço do Sul — todas com elevados índices de suicídio —, através da sensibilização e do envolvimento de profissionais de diferentes setores para se ampliar o acompanhamento dos casos e o número de notificações.

A estratégia adotada em Candelária foi trabalhar com as tentativas de suicídio, que constituem os maiores grupos, através da sensibilização de quem presta os primeiros atendimentos a esses potenciais casos: toda a rede de saúde, Brigada Militar, Bombeiros e Samu.

— Com ações simples e de baixíssimo custo, capacitamos a nossa rede de forma que os profissionais de saúde e segurança conseguissem identificar potenciais casos, realizar a primeira orientação, preencher um formulário único, notificar a secretaria de Saúde e encaminhar para acompanhamento — explica a secretária municipal de Saúde de Candelária, Aline Trindade.

O manual é uma iniciativa conjunta do Sistema de Saúde Mãe de Deus (SSMD) e do Centro Estadual de Vigilância em Saúde do Rio Grande do Sul (CEVS-RS). O programa foi iniciado em 2008, após a constatação que a incidência de suicídio no Rio Grande do Sul era uma das maiores do Brasil.

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga @bemestarzh no Twitter

clicRBS
Nova busca - outros