Discurso interrompido15/05/2012 | 14h32

Dilma é vaiada na abertura da 15ª Marcha dos Prefeitos, em Brasília

Representantes dos municípios cobraram declarações sobre os royalties do petróleo e causaram irritação na presidente

Enviar para um amigo
Dilma é vaiada na abertura da 15ª Marcha dos Prefeitos, em Brasília Wilson Dias/A Br
Dilma pediu que prefeitos olhem distribuição dos royalties "de hoje para a frente" Foto: Wilson Dias / A Br

A presidente Dilma Rousseff foi vaiada ao encerrar o seu discurso, durante a cerimônia de abertura da 15ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, que ocorre em um hotel de luxo em Brasília.

Ela prometeu retroescavadeiras a municípios, defendeu uma "parceria respeitosa e produtiva com Estados e municípios" e comentou o cenário de crise econômica internacional. Quando o discurso da presidente estava próximo do fim, os prefeitos começaram a cobrar uma declaração de Dilma sobre royalties. "Royalties! Royalties", gritavam.

— Vocês não vão gostar do que eu vou dizer — respondeu Dilma.

— Petróleo vocês não vão gostar. Então eu vou falar uma coisa, não acreditem que vocês conseguirão resolver a distribuição de hoje para trás. Lutem pela distribuição de hoje para a frente — afirmou a presidente, encerrando abruptamente o discurso, demonstrando irritação.

Dilma já vinha sendo cobrada pelos prefeitos desde o início, com o discurso do presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkosky.

— Vejo o Congresso há anos debatendo a reforma política, há anos falando de reforma tributária e eu diria que precisamos fazer a bisavô das reformas, que é a reforma da Federação. Enquanto isso não for feito, vivemos um estrangulamento federativo — afirmou Ziulkosky.

Dirigindo-se à presidente, acrescentou:

— Tenho a certeza que, como dizia o presidente Lula, "quero chegar ao final do meu mandato e passar uma fita métrica", saber o que evoluiu, o que não evoluiu, o que não melhorou. Tenho certeza que na sequência a senhora também tem esse objetivo. E estamos aqui para ser parceiro, mas para ser parceiro às vezes precisamos dizer alguma coisa.

Ziulkosky também cobrou a sanção do Código Florestal, tal como aprovado na Câmara dos Deputados, e questionou a distribuição dos royalties do petróleo:

— Não existe município nem estado produtor. O que tem é confrontante. Duzentos quilômetros de extensão, o que aquele Estado fez (para ter o petróleo)? Aquilo é nosso, da União, é de todos, não é produtor coisa nenhuma — disparou.

O presidente da CNM questionou como está sendo feita política de construção de creches públicas no país, que estaria sobrecarregando as contas municipais.

— Só nós estamos gastando. Um cálculo de um custo de R$ 600 por criança, estamos colocando do orçamento do município R$ 400. Vamos colocar por ano mais de R$ 4 bilhões, como vamos fazer isso? O que existe hoje entre Estado e União é montaria, não parceria — concluiu.

Comentar esta matéria Comentários (5)

Alexandre

É LAMENTÁVEL, POIS QUANDO OS POLITICOS AO INVÉS DE CUIDAR DAS NECESSIDADES DOS MUNICÍPIOS, E PENSAREM COM RACIONALIDADE, QUEREM COBRAR ALGO QUE JÁ FOI GASTO PELOS GOVERNOS CARIOCAS E CAPIXABAS. QUE VERGONHA! CONCORDO E COM CERTEZA A PRESIDENTA TEM TODA RAZÃO! LUTAR PELO FUTURO DOS RECURSOS!

16/05/2012 | 10h03 Denunciar

DANIEL1961

Estes escroquis querem apenas e mais recursos para roubar. E so analisar a situacao dos municipioas cariocas, que foram beneficiados com o repasse, pra concluir que esta e a unica pretensao. E o tal Presidente da CNM deveria arrumar um trabalho. Chega de mamar nas tetas da sociedade.

15/05/2012 | 18h08 Denunciar

Gilmar

Está aí, Um Gaúcho com conhecimento de causa ensinando arrogantes que desconhecem a própria calça. Se a capital do crime ( RJ )não quer entender é porque essa dinheirama toda que recebem pelo monopólio da PeTrobrás é desviado, basta ver o nível das favelas, da infra-estrutura e da roubalheira.

15/05/2012 | 17h46 Denunciar

anderso duarte

Ta certa a Presidenta, tem prefeitos que só reclamam, que não tem dinheiro, mas as prefeituras estão cheias de CCs, viradas em cabides de empregos... Uma vergonha, todos sabem que 60% dos recursos da saúde e educação vem do gov. federal...

15/05/2012 | 17h30 Denunciar

Paulo César

Reunião em hotel de luxo, pago com dinheiro público. A ditadora Dilma não gosta de ser contestada e nem cobrada.

15/05/2012 | 15h28 Denunciar

Siga os perfis de ZH no Twitter

  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraGrêmio reverteu desvantagem no segundo jogo quatro vezes na história da Libertadores. http://t.co/j52uiLkynShá 11 minutosRetweet
  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraO que acha melhor: comprar um imóvel financiado ou pagar aluguel até juntar dinheiro para uma entrada maior? Opine: http://t.co/N9sKmxMe0zhá 1 horaRetweet
clicRBS
Nova busca - outros