Lembranças da ditadura17/05/2012 | 09h29

Carlos Araújo conta como fugiu da tortura: Atirei-me em frente a uma Kombi para ficar bastante ferido

Na quarta, Comissão da Verdade foi instalada no país para esclarecer crimes do regime militar

Enviar para um amigo
Na quarta-feira, um ato solene, repleto de simbolismos, instalou no Brasil a Comissão da Verdade, que tem como função esclarecer os crimes cometidos durante o regime militar. Emocionado com o passo dado pelo governo federal, o ex-deputado e ex-marido da presidente Dilma Rousseff, Carlos Araújo, relatou nesta manhã ao programa Gaúcha Atualidade como os presos políticos eram torturados à época da ditadura:

— No momento em que a gente era preso, era lançado dentro de um carro e começava a tortura lá dentro mesmo que era para falar imediatamente para que nossos companheiros não tivessem tempo de fugir.

Capturado em São Paulo, Araújo passou dias inteiros sendo torturado na Delegacia de Ordem Política e Social (Dops) pendurado em um pau-de-arara, tomando choques elétricos e pauladas.

— Jogavam água em cima da gente e ligavam os fios nos nossos órgãos genitais, nas nossas extremidades. Os fios eram ligados à TV e, cada vez que trocavam de canal, era um choque terrível — disse. 

O ex-deputado conta que médicos acompanhavam a sessão para confirmar se o preso aguentaria mais tortura. Para escapar, Araújo mentiu aos militares que se encontraria com o também militante Carlos Lamarca em uma rua movimentada, para onde foi levado.

— Até que finalmente me atirei embaixo de uma Kombi para ficar bastante ferido, ir para o hospital e conseguir ganhar pelo menos mais cinco dias. Fui para uma clínica, e me levaram para o hospital militar, onde fiquei oito dias em tratamento. Lá, eles tentaram me torturar, mas as freiras não permitiram. Isso me salvou da tortura neste período — completou.

Depois, a tortura diminuiu:

— A situação era menos dramática porque eu já não tinha o que falar em relação às pessoas, que já tinham saído do alcance da repressão, e ninguém poderia ser preso. O que ocorreu comigo ocorreu com todos que foram presos, inclusive com a Dilma.

Sobre a Comissão da Verdade, Araújo se disse emocionado. O ex-deputado explica que há cerca de 300 pessoas que foram mortas no país e cujos destinos dos corpos são desconhecidos. 

— Um povo que não conhece a sua história, não pode planejar seu futuro. A comissão vai esclarecer alguns fatos da nossa história como foi colocado ontem pela presidente: sem revanchismo, sem retaliação.

Ouça a entrevista na íntegra:

Comentar esta matéria Comentários (30)

Flávio André

Curioso (e triste) o alto percentual de pessoas que defende incondicionalmente a tortura. Em outras palavras, dizem: "Ah, mas tem gente que merece..." Na ira até às vezes pensamos isso, mas não conseguir controlá-la, ou, pior, defender a tortura mesmo depois que a raiva passa, é coisa de psicopata.

17/05/2012 | 21h29 Denunciar

Karina Dias Lopes Soares

A maioria dos comentários apresenta um senso comum do qual resulta intolerância. Dizem que a ditadura protegeu a sociedade dos criminosos, mas a onda de impunidade em nosso país atualmente não está ligada à democracia ou à falta dela e sim à maneira em como lidamos com a liberdade e à coisa pública

17/05/2012 | 20h08 Denunciar

Nabuco

Não acredito no que leio. Como podem defender a tortura? E ainda ser negacionistas a ponto de defenderem uma ditadura, dizendo que não foi nada? Gente foi assassinada, torturada, presa, exilada, famílias acabaram... e não foi nada? É vergonhoso ver que tentam apagar o passado. Esquecer jamais!

17/05/2012 | 19h41 Denunciar

Ademar

Ano, 1977 estava numa aula de matemática do seg. ano ginasial no ginásio da minha cidade.Um dos alunos não entendia a matéria o professor (MAJOR do EXERCITO)ficou furioso agarrou-o pelo cangote levou até a porta com um ponta-pé no traseiro mandou-o apresentar-se na sala da diretoria.Imaginem hoje.

17/05/2012 | 19h40 Denunciar

JOSÉ HUGO

CARO ADAIR;NA EPOCA MORAVA EM OSASCO SP,NÃO EXITIA DROGA,BANDIDO E LADRÃO TINHAM MEDO,HOJE ESTAMOS A MERCER DE MORRER POR ROUBO ASSALTO,BALA PERDIDA,VC VIVIA TRANQ.SABIA QUE A SEGURANÇA TINHA CONTRA OS MALFEITORES,O SR.HOJE ESTA NUMA DITADURA SIVIL,FAÇA A COMPARAÇÃO QUAL DITADURA PIOR.

17/05/2012 | 15h41 Denunciar

valter

Infelizmente a história esta sendo misturada com ideologia política/partidária, e por causa disso essa comissão da verdade poderá se tornar um fracasso. Chamam de ditadura militar o governo neste período, quando na verdade seria ditadura mixta. Militares governavam e alguns civis embolsavam quantias

17/05/2012 | 15h15 Denunciar

Raul

Como o próprio título da reportagem diz:" Atirei-me em frente a uma kombi para ficar bastante ferido". Tudo isso para, em um momento posterior, dizer que os ferimentos eram resultado de tortura feita pelos militares. Essa tática era muito usada pelos terroristas, principalmente, pelo Mário Lago.

17/05/2012 | 14h59 Denunciar

Raul

Eu gostaria de saber a verdade sobre o quanto foi gasto na cerimônia de posse da comissão da "verdade". O Lula, o FHC não devem ter vindo em avião de carreira. Alguém sabe me dizer o quanto custa deslocar um avião de Brasília a S. Paulo ida e volta? As refeições? A pinga, o wiskey? E, a saúde nada..

17/05/2012 | 14h41 Denunciar

Raul

Após se atirar em frente a uma kombi, não satisfeito sequestrou avião de companhia brasileira, e o levou para Cuba. Eu gostaria de saber o quanto foi gasto com a cerimônia de posse da comissão da "verdade". O Lula não deve ter vindo em avião de carreira, o FHC, as refeições, o cafezinho, etc...

17/05/2012 | 14h33 Denunciar

Antonio

...a imprensa se presta a ouvir esse pessoal, já foram indenizados com o nosso dinheiro, boa coisa não faziam para ser perseguidos. Nos "anos de chumbo" eu e amigos passávamos as noites dando serenata de casa em casa, duros de trago. Nunca nenhum milico nos atacou para nos torturar....

17/05/2012 | 14h15 Denunciar

Franciano Vieira Pires

Estamos criando o País dos coitadinhos, que só querem saber de direitos, sobre os deveres ninguém se pronuncia.Os militares erraram, pois deixaram vivos elementos como Marco Aurelio, Jose Dirceu, Lula e cia...deveriam ter terminado com todos, bando de desocupados.

17/05/2012 | 14h00 Denunciar

Chester Magno

Pobres coitados, receberam todo este carinho de graça, não estavam sequestrando ninguem, nem assaltando bancos, nem colocando bombas em lugares públicos, todos santos que nem o pseudo lider guevara!!!

17/05/2012 | 13h44 Denunciar

Jaguaribe Teixeira

Continuando. O único prejuíso que tive foi ter perdido a minha nomeação para o B. Brasil que o Pres. Nei Galvão havia feito, a pedido do Brizola. Mas não tenho mágua dos militares.Hoje pelo que está aí, vejo que prestaram um serviço ao Brasil. No futuro serão reconhecidos.

17/05/2012 | 13h29 Denunciar

Jaguaribe Teixeira

Esta história do Carlos Araujo está mal contada.Não fecha o perfil psicológico, é desculpa para ganhar indenização e pensão.O Brasil tem que saber que tem 62.000 desses ganhando pensão. E morreram 423. Alguma coisa está mal......Acho que é malandragem de brasileiro!Eu fui preso e não pedí pensão!!

17/05/2012 | 13h19 Denunciar

laerte bechuetti

Espero que essa comissão da verdade valha para os dois lados, pois houve banditismo por milicos, assim como houve pelos esquerdistas que tambem agiam da mesma forma. A Senhora Predidenta e seu ex-marido estiveram envolvidos em sequestros, assaltos e mortes, revejam a guerrilhas do Araguaia.

17/05/2012 | 13h12 Denunciar

Jaguaribe Teixeira

Fui preso em Santo Cristo pelo Del. João Carlos da Civil e levado para o quartel de Ijuí. Fui muito precionado para dizer dos meus contatos no Alto Uruguai mas não cedíe não fui torturado. Só se na DOPS, pessoal era de baixo nível, houve tortura. Hoje os milicos são meus amigos e "sem indenização".

17/05/2012 | 13h08 Denunciar

carlos

outra coisa: já que ele lembra com tantos detalhes das torturas que sofreu SERÀ QUE ELE LEMBRA DAS QUE PRATICARAM? DOS ROUBOS E MORTES QUE PARTICIPARAM? SERIA BOM QUE CONTASSE OS DETALHES PARA NÓS TAMBÉM.

17/05/2012 | 12h45 Denunciar

carlos

diz ele que nunca usou armas, assim como a dilma, fazia parte da elaboração das ações. Quer dizer que aquele que planeja um ataque a banco ou quartel e pessoas são mortas na ação, não são também culpados? por favor guerrilheiro, ao menos assuma suas ações.

17/05/2012 | 12h42 Denunciar

Rodrigo

Por que será que ele não comentou sobre a morte do Mário Kosel Filho? Se alguém quer saber de quem se trata, procure nos sites de busca. Foi covardemente assassinado pela VPR, organização defendida pelo nobre Carlos Araújo e que tinha participação de Dilma Roussef.A tal comissão vai investigar isso?

17/05/2012 | 12h33 Denunciar

Simone

Na Argentina foram 30 mil mortos e eles lembram todos os dias! Importante sabermos o que se passou de verdade, Eles devem ter queimado muito arquivo, só 300 desaparecidos?

17/05/2012 | 12h21 Denunciar

João Luiz

Erros houveram, mas se hoje temos a liberdade foi por causa dos milicos, se não esta minoria revoltada nos imporia uma Cuba ou Coréia do Norte.

17/05/2012 | 11h36 Denunciar

João Luiz

Que engraçado, nesta época minha mãe (viúva) criou sete filhos sozinha pedalando uma máquina de costura, nenhum de nós sumiu ou foi torturado, talvez porque estávamos preocupados em estudar e trabalhar, não estávamos sequestrando, matando pessoas em atentados ou roubando bancos. Bando de canalhas.

17/05/2012 | 11h33 Denunciar

emilia

A história tem que ser buscada, analisada, descrita, impressa, falada, comentada, lida, todos os meios para que não haja repetição. Não tive envolvimento com partido político nenhum ou com grupos, mas falava contra a ditadura e senti que teria que sair do Brasil ou poderia ser denunciada e torturada

17/05/2012 | 11h10 Denunciar

Gilmar

É graças aos soldados,e não aos sacerdotes, que podemos ter a religião que desejamos.É graças aos soldados, e não aos jornalistas, que temos liberdade de imprensa.É graças aos soldados, e não aos poetas, que podemos falar em público.É graças aos soldados, e não aos professores,que existe liberdade..

17/05/2012 | 10h58 Denunciar

P@ulo

Nossa! Que festival surreal, esta entrevista pode ser transformada num filme do tipo 'acredite se quiser'.

17/05/2012 | 10h53 Denunciar

Magda

Pessoas morreram, "sumiram" outras estão com sequelas psicologicas e fisicas eternas das torturas inimagináveis. Elas estão ai para nos lembrar dos crimes que ocorreram pelos militares desta época.Defender os militares da ditadura é inadmissível para mim.

17/05/2012 | 10h46 Denunciar

José Antonio

Naquela época a coisa era tao louca, q nas aulas (univ. Sta. Maria, década 70) tinhamos colegas" militares sem uniforme, q só apareciam nas aulas, alheios a estudo, nem provas faziam, entrava ano-saia ano e estavam sempre lá, pelos cantos, observando. O incrivel q era td "natural" cultura vigente !

17/05/2012 | 10h42 Denunciar

Paulo

Que absurdo ainda vir alguém aqui defender a tortura. Nada justifica, meu caro, você deve rever seus conceitos. Ou procurar com urgência um médico. MELHORAS, VIU?

17/05/2012 | 10h40 Denunciar

Adair

Sr. José Hugo, faça bom proveito desses seus amigos milicos!

17/05/2012 | 10h29 Denunciar

JOSÉ HUGO

SO ESQUECEU DE CONTAR O FEZ PARA SER TOTURADO,NO MINIMO ERA AMIGO TAMBEM DO LAMARCA,TEM QUE DIZEREM AO POVO O QUE VCS APRONTAVAM PORQUE VCS NÃO ERAM ANGINHOS.DAI RECALCADOS BOTAVAM A CULPA NOS MILITARES.

17/05/2012 | 10h16 Denunciar

Siga os perfis de ZH no Twitter

  • blogdozini

    blogdozini

    luiz zini piresTécnico do San Lorenzo prega cultura defensiva: Campeão da Copa Libertadores da América com a LDU, do Equador,... http://t.co/5MflUe52Ethá 39 minutosRetweet
  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraCaso Bernardo: contas bancárias podem ser a chave para comprovar envolvimento de pai no crime: http://t.co/gYn7kYTei1há 42 minutosRetweet
clicRBS
Nova busca - outros