Versão mobile

Noroeste do Estado23/02/2014 | 16h42Atualizada em 23/02/2014 | 17h05

Ladrões esvaziam açude e levam peixes de propriedade rural de Três de Maio

O produtor Valdomiro Machado, 63 anos, afirma ter perdido cerca de 500 quilos de peixes

Enviar para um amigo
Ladrões esvaziam açude e levam peixes de propriedade rural de Três de Maio Paulo Marques Notícias/Especial
Produtor perdeu investimento de mais de R$ 2 mil em açude Foto: Paulo Marques Notícias / Especial

Ladrões invadiram uma pequena propriedade rural no interior de Três de Maio, no noroeste do Estado e secaram um açude para furtar os peixes. O crime ocorreu na tarde do último sábado, na localidade de São Caetano, interior do município.

O produtor Valdomiro Machado, 63 anos, nem desconfiava que três anos de trabalho e um investimento de mais de R$ 2 mil, iriam por água abaixo em plena luz do dia. Segundo o agricultor, homens entraram na sua propriedade por volta das 16h, e, com um enxadão, abriram uma vala e escoaram toda a água de um açude. Foram levados cerca de 500 kg de peixes na ação, segundo machado.

No local, ele cultivava pelo menos 300 carpas Capim e cerca de 40 carpas Húngaras. Quase tudo foi levado:

— Eles ainda deixaram morrer uns cem peixes, que não devem ter conseguido carregar — salienta o produtor.

Machado trabalhava na construção de uma casa com a família, a cerca de 500 metros do açude e não percebeu a ação dos bandidos. Ele conta que vizinhos teriam visto ao menos três homens saírem da sua propriedade. Um carro e uma moto teriam sido usados na ação, de acordo com o produtor.

A Polícia ainda não tem informações sobre o caso, pois o agricultor ainda não registrou o fato na delegacia, o que deverá ser feito apenas nesta segunda-feira. Porém, Valdomiro afirma que os ladrões deixaram para trás o instrumento utilizado para escavar a vala e escoar a água, roupas e uma garrafa de cachaça. Tudo foi embalado em pedaços de plástico e será entregue à Polícia Civil como prova para o trabalho de investigação.

No açude de 20 por 10 metros, o produtor cultivava peixes para o próprio consumo, o excedente ele vendia. O sustento também vem da produção de soja nos 24,5 hectares da propriedade da família.

— Já tinham me roubado peixe outras vezes, mas não assim, secando o açude. Não sei se vou investir novamente, para depois acabar perdendo tudo de novo — salienta.

Crime é comum em comunidades rurais

O furto de peixes em açudes no interior é comum na região. De acordo com o chefe do escritório da Emater em Três de Maio, Leonardo Rafael Rustick, é corriqueiro ladrões utilizarem redes, tarrafas e até caniços para extrair peixes de açudes.

— Esvaziar um açude por inteiro nunca tinha ouvido relato. Até onde eu tenho conhecimento é um fato isolado, mas grave: é um pequeno produtor rural, para ele recuperar o investimento é mais difícil — sustenta.

Segundo Rustick, o quilo do peixe está, hoje, na média de R$ 5. Portanto, se confirmado o furto dos 500 quilos como o produtor afirma, o prejuízo pode chegar a R$ 2, 5 mil.

O delegado de Polícia Civil de Três de Maio, João Vitório Barbato, afirma que o crime não é incomum. Ele afirma que a partir do registro da ocorrência, vai investigar o caso:

— Vamos precisar ter um ponto de partida. Se vizinhos viram alguém e conseguiram identificar ou que tipo de veículo estavam, por exemplo — observa.

Siga os perfis de ZH no Twitter

  • zh_esportes

    zh_esportes

    zhEsportesArena oferece descontos de até 50% para Grêmio x San Lorenzo http://t.co/dq7AAT4K76há 13 minutosRetweet
  • zh_esportes

    zh_esportes

    zhEsportesMusa do UFC, Ronda Rousey fará pontinha em jogo de beisebol nos Estados Unidos --> http://t.co/yYpgbTGbPR (via @PrimeTimeZH)há 46 minutosRetweet
clicRBS
Nova busca - outros