Versão mobile

Obituário

Lenora Elisabeth Mitto Navarro
Lenora Elisabeth Mitto Navarro

Lenora Elisabeth Mitto Navarro morreu em 17 de fevereiro, aos 64 anos, em Porto Alegre, devido a uma parada cardíaca. Ela nasceu em Porto Alegre, filha dos imigrantes uruguaios Gabriela Paim Mitto e Paulo Mitto, nascida em 26 de março de 1949, em Porto Alegre. Em 1979, casou-se com o paulistano Inácio Bretos Navarro, filho de imigrantes espanhóis, em 30 de junho de 1979. Deixa o único filho, Vinícius Mitto Navarro, sete irmãos, sobrinhos, sobrinhos-netos e sobrinhos-bisnetos.

Data de publicação: 08/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Maria Conceição Silveiro Malater

Morreu, em 20 de janeiro, devido à infecção generalizada, Maria Conceição Silveiro Malater. Ela tinha 95 anos e estava internada no CTI do Hospital Mãe de Deus. Filha única de Disnard Malater e Gabriela Silveiro Malater, era natural de Porto Alegre. Nasceu na Rua Silveiro e estudou no Colégio Sévigné.

Maria Conceição foi costureira e professora de corte e costura, mas se dedicou, a maior parte da vida, ao lar. Deixa três filhos - Antonio Carlos, Gilberto e Roberto -, e cinco netos e quatro bisnetos.

Data de publicação: 08/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Paulino Gaviraghi

Descendente de imigrantes italianos que chegaram ao Brasil em 1875, o agricultor Paulino Gaviraghi morreu no dia 18, aos 83 anos, por insuficiência respiratória. Ele era natural de Santa Rosa e vivia na localidade de Candeia Baixa, em Santa Rosa. Gaviraghi era casado com Adélia Calloni, com quem construiu uma numerosa família, formada por 12 filhos (Dionizio, Ledi, Adelino, Mareli, Helena, Marilene, Celina, Marinês, Roque, Darci, Irio e Claudete), 11 netos (Marcos, Mauro, Cátia, Cassio, Cibeli, Micheli, Alex Sandro, Andressa, Matheus, Patrick e Gabrielle) e dois bisnetos (Ana Clara e Arthur). Um de seus maiores prazeres era produzir o vinho colonial apreciado nos encontros familiares aos domingos. Gaviraghi era um dos fundadores da comunidade de Nossa Senhora do Caravavaggio e atuou na diretoria da igreja e na comunidade da Escola Municipal Princesa Isabel. Em várias ocasiões, foi zelador do Calendário Antoniano de Caxias do Sul.

A missa de sétimo dia será realizada hoje, às 20h, na Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus, em Santa Rosa.

Data de publicação: 08/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Valdemina Maria Girardi

Natural de Fazenda Souza, interior de Caxias do Sul, Valdemina Maria Girardi, era solteira e não teve filhos. Ela morreu aos 87 anos, em 29 de janeiro.

Nascida em 24 de julho de 1926, trabalhou durante 45 anos cuidando de pessoas enfermas - profissão que ela aprendeu a desempenhar com muito amor e dedicação.

Aposentada, Dina, como era chamada pelos parentes e amigos, recebeu os cuidados da irmã Odete. Religiosa e amorosa com a família, tinha paixão especial pelos sobrinhos. Para passar o tempo, gostava de fazer tricô e jogar cartas.

Data de publicação: 08/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Vera Maria Cunha Pereira
Vera Maria Cunha Pereira

Natural de Viamão, Vera Maria Cunha Pereira morreu em 22 de fevereiro, aos 77 anos, por hipertensão pulmonar. Vera era casada com Helio Pereira, e deixa a filha Vera Lúcia Mesquita e o neto Daniel. Mudou-se para Porto Alegre aos 16 anos. Nos últimos 15 anos, estabeleceu-se no bairro Menino Deus. Ela gostava de pintar telas e de criar tapetes de lã para presentear familiares. Segundo sua filha, a mãe era uma pessoa religiosa, muito querida por todos e extremamente bondosa, que sentia prazer em auxiliar ao próximo.

Data de publicação: 08/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Laís Bueno Correa Barbosa
Laís Bueno Correa Barbosa

Aos 62 anos, morreu em 3 de março, na Capital, a advogada Laís Bueno Correa Barbosa, após longa enfermidade. Laís era natural de Rio Grande - nasceu em 11 de novembro de 1951 - mas viveu na Bahia, onde costumava aproveitar férias. Fixou residência em Porto Alegre, ainda jovem. Formada em 1976, em Ciências Jurídicas e Sociais pela PUCRS, estabeleceu-se profissionalmente em Esteio.

Segundo amigos e familiares, era alegre, divertida e generosa. Com voz de contralto, cantou no Coral da Caixa de Assistência dos Advogados da OAB-RS desde a fundação - era a "Callas" (cantora lírica americana) do coral. Ela já havia perdido o pai, recentemente, a mãe e, há pouco, o irmão. Foi casada com o professor Luiz Francisco Correa Barbosa e não deixou filhos.

Laís foi cremada em 4 de março, no Cemitério Parque Saint Hilaire. A missa de sétimo dia será neste domingo, às 18h30min, na Igreja Nossa Senhora das Dores (Rua Riachuelo, 630, em Porto Alegre).

Data de publicação: 08/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
José Rosa
José Rosa

José Rosa morreu em 11 de fevereiro, aos 72 anos, em decorrência de problemas pulmonares. Natural de Tubarão (SC), o Catarina ou Seu Zé, como era conhecido, trabalhava como taxista desde 1980, em Canoas. Casou com Ana Terezinha Gonçalves Rosa, com quem teve os filhos Fábio, Daina e Maurício. Segundo os familiares, Seu Zé era um amigo leal, marido dedicado, pai correto, firme e trabalhador. Além disso, era um avô carinhoso e orgulhoso das netas Milena, Gabriela e Carolina. Também era apaixonado por futebol - em especial pelo Inter. Adorava o churrasco da família aos domingos, assistir aos jogos na TV e frequentar o Beira-Rio, torcendo pelo time com seu radinho colado no ouvido.

A missa de 30º dia ocorre neste domingo, às 18h, na Igreja Nossa Senhora das Graças, em Canoas.

Data de publicação: 08/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Hildegard Maria Goettert
Hildegard Maria Goettert

Morreu em 28 de fevereiro Hildegard Maria Goettert, aos 75 anos. Desde 2010, lutava contra um câncer de ovário. Natural de Santa Cruz do Sul, era filha de Roberto Haas e Ernestina Haas. Estudou no Ginásio Sagrado Coração de Jesus e trabalhou na joalheira Kothe, na Exportadora Hennig, no Banco Sinimbu e na Companhia de Fumos Santa Cruz. Cursou alemão e integrou o Coral São José.

Em 1970, conheceu Arno Ernesto Goettert, com quem se casou em 9 de setembro de 1972. Mudou-se para Porto Alegre e passou a se dedicar ao lar.

Segundo familiares, Hildegard era uma dona de casa excepcional. Confeccionava artigos de tricô, crochê e costura e preparava deliciosas cucas, sobremesas, doces e refeições. Cuidava das flores e plantas de casa com carinho e competência. Gostava de receber os parentes e, por isso, sempre preparava algo para agradá-los.

A família conta que Hildegard pregava o bem e a justiça, tendo opiniões firmes e auxiliando quem necessitasse. Católica praticante, integrava a Pastoral das Capelinhas da Igreja do Menino Deus, da qual foi secretária por mais de 20 anos.

Comungava todas as primeiras sextas-feiras do mês e assistia diariamente a missa na TV. Tinha muitas amigas e admiradoras, tanto ligadas à Igreja, quanto à vizinhança. Gostava de resolver as palavras cruzadas que vinham nos jornais. Durante os últimos meses de vida, quando seu estado de saúde se agravou, tinha as sobrinhas como uma presença constante.

As missas de sétimo dia serão celebradas hoje, às 16h, na Igreja do Menino Deus, em Porto Alegre, e às 16h30min, na Igreja da Ressurreição, em Santa Cruz do Sul.

Data de publicação: 08/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Jean-Louis Bertuccelli
Jean-Louis Bertuccelli

O cineasta Jean-Louis Bertuccelli, diretor de Remparts d'argile e Docteur Françoise Gailland, morreu aos 71 anos, informou nesta sexta-feira a Sociedade Civil de Escritores-Diretores (ARP).

"Membro histórico da ARP, Jean-Louis Bertuccelli era um cineasta engajado no interesse geral de sua arte", disse o ARP em um comunicado.

"Ele carregava, principalmente através de sua filmografia, uma perspectiva sincera e política sobre o mundo que nos rodeia", afirma a organização.

Em 1970, Jean-Louis Bertuccelli recebeu o Prêmio Jean Vigo por seu primeiro filme Remparts d'argile, que representou a França no Oscar do ano seguinte.

Em 1976, ele ofereceu um de seus melhores papéis para Annie Girardot em Doutor Françoise Gailland. A atriz recebeu o César de Melhor Atriz pelo filme, no qual interpretou uma médica lutando contra o câncer ao lado de François Perrier e Jean-Pierre Cassel.

Jean-Louis Bertuccelli era o pai da cineasta Julie Bertuccelli.

Data de publicação: 08/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Santo Vinciprova
Santo Vinciprova

Natural de Leonforte, sul da Itália, Santo Vinciprova, 73 anos, veio para o Brasil em 1960 com os familiares em busca de um futuro melhor e de novos horizontes, já que era de família simples na Europa. Vinciprova morreu em 2 de março, em Porto Alegre, devido a complicações causadas por um câncer no cérebro.

Casado com a dona de casa Maria Eda, teve três filhos: Andréia, Patrícia e Sandro. Deixou ainda os netos Marco Antônio, João Vitor, Maria Valentina e João Manoel, o genro Renato e a nora Alethea.

A missa de sétimo dia será realizada hoje, às 18h, na Igreja São João.

Apesar do jeito por vezes sisudo, como lembra a família, Vinciprova brincava dizendo que era mais brasileiro do que italiano, devido ao longo tempo de permanência no país e por praticamente deixar de lado o idioma italiano. Por onde passou, conquistou amigos e respeito. Aos filhos, deixou o mais importante dos legados: a educação - os três têm formação superior.

Veio da Itália com o ofício de barbeiro e começou a trabalhar na capital gaúcha no antigo salão Guidon, na Rua Ceará, até atuar em outras profissões, sempre como autônomo. Trabalhou em uma lancheria na mesma rua e, depois, como distribuidor de leite da extinta Coorlac.

Ainda foi proprietário de padarias em Porto Alegre e Alvorada até ser taxista em Porto Alegre, antes de se aposentar.

Data de publicação: 08/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Leopoldo María Panero

O poeta espanhol Leopoldo María Panero morreu quinta-feira, aos 65 anos, em Las Palmas de Gran Canaria, segundo agências de notícias.

Nascido em 16 de junho de 1948, filho do também poeta Leopoldo Panero e da escritora Felicidad Blanc, Leopoldo María Panero publicou sua primeira obra, Por el camino de Swant, quando tinha 20 anos, em 1968.

Em 1970, os poemas de Panero foram incluídos na antologia Nueve novísimos, do crítico literário catalão José María Castellet, que reuniu obras de poetas considerados os mais renovadores dos anos 60.

Ele também passou por vários tratamentos psiquiátricos ao longo da vida, o que não o impediu de continuar escrevendo.

Panero foi retratado em 1976 no filme El desencanto, de Jaime Chávarri. Posteriormente, interpretou a si mesmo no filme Después de tantos años, de Ricardo Franco.

Data de publicação: 08/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Sérgio Guerra
Sérgio Guerra

O deputado federal Sérgio Guerra, ex-presidente nacional do PSDB, morreu ontem, em São Paulo, aos 66 anos. Guerra estava internado havia cerca de 20 dias no Hospital Sírio-Libanês.

Presidente do Instituto Teotonio Vilela (ITV) e do diretório do partido em Pernambuco, lutava contra câncer no pulmão e na cabeça e, recentemente, teve uma pneumonia em decorrência da quimioterapia.

Em nota, a presidente Dilma Rousseff lamentou a morte do tucano. "Foi com pesar que tomei conhecimento da morte do deputado federal Sérgio Guerra. Aos amigos e familiares, solidarizo-me neste momento de dor", afirma ela no texto.

A sessão da tarde de ontem da Câmara dos Deputados foi dedicada a homenagens ao político. Colegas se revezaram no plenário para discursar em reverência ao tucano e fizeram um minuto de silêncio. Como Sérgio Guerra estava no exercício do mandato, pelo regimento, a Câmara já está em luto oficial.

Economista, pecuarista e professor, Severino Sérgio Estelita Guerra nasceu em Recife, em 9 de novembro de 1947. Pertenceu ao PMDB (1981-1985), ao PDT (1985-1988) e ao PSB (1989-1999).

Em 1999, deixou o PSB e ingressou no PSDB, partido que presidiu (de 2007 a 2013) e onde ficou até a morte. Participou do primeiro governo Jarbas Vasconcelos, ocupando a Secretaria Extraordinária. Em 2002, Guerra tornou-se senador da República por Pernambuco, com 1.675.779 votos. Na eleição à Presidência da República, em 2006, foi coordenador da candidatura tucana do governador Geraldo Alckmin.

Em 23 de novembro de 2007, Guerra foi eleito presidente do PSDB, substituindo Tasso Jereissati. Ocupou o posto até 18 de maio de 2013. Na sua gestão, modernizou o processo de comunicação do PSDB, investiu em mídias sociais (Facebook e Twitter) e incrementou o diálogo do partido com os diversos segmentos da sociedade (jovens, mulheres, minorias e sindicalistas).

Amigo pessoal do governador de Pernambuco e pré-candidato à presidência, Eduardo Campos (PSB-PE), Guerra foi o principal fiador do ingresso do PSDB no governo socialista no início deste ano. Em nota, Campos destacou a importância do tucano. "A perda de Sérgio Guerra nos entristece profundamente. Em meu nome pessoal, da minha família e do povo pernambucano, expresso minhas condolências aos familiares e amigos deste pernambucano que lutou todos esses anos para a construção de um Pernambuco melhor e de um Brasil mais justo", disse o governador. Sérgio Guerra deixa quatro filhos.

Data de publicação: 07/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Rubens de Campos Vianna
Rubens de Campos Vianna

Administrador de empresas, formado no Rio de Janeiro, Rubens de Campos Vianna era aposentado pela CEEE, onde trabalhou por décadas. Também foi atleta da Associação Cristã de Moços (ACM), onde fez muitas amizades.

Casado com Maria de Lourdes (falecida), teve um filho, chamado Carlos Eduardo.

Grande amigo e parceiro, destacava-se pelo bom humor, sempre tendo piadas para todos os momentos. Almoçava diariamente no centro da Capital, onde encontrava os velhos companheiros para bater papo ou tomar um cafezinho.

Vianna morreu em 26 de fevereiro, em casa, aos 83 anos. Além do filho, ele deixa a neta Gabriela.

Data de publicação: 06/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Sherwin B. Nuland
Sherwin B. Nuland

O cirurgião e escritor norte-americano Sherwin B. Nuland morreu na segunda-feira, em sua casa em Hamden, Connecticut, nos Estados Unidos, informou o jornal The New York Times. Aos 83 anos, ele foi vítima de câncer de próstata, conforme disse a filha Amelia Nuland.

Nuland é autor do livro How We Die, premiada obra cujo objetivo é dissipar a esperança da morte com dignidade. O trabalho alimentou um debate nacional sobre a eutanásia.

Em How We Die, publicado em 1994, Dr. Nuland descreve em detalhes os processos pelos quais a vida sucumbe à violência, doença ou velhice. Ele ganhou o National Book Award e foi finalista do Prêmio Pulitzer em não-ficção, em 1995.

Data de publicação: 06/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Silvio Alberto Schuler
Silvio Alberto Schuler

Morreu na última quinta-feira o engenheiro civil Silvio Alberto Schuler, aos 71 anos. Natural de Montenegro, Schuler era um dos mais experientes engenheiros do Estado no segmento de pavimentação de vias rodoviárias, e participou da construção da freeway, entre outras importantes estradas.

Em Porto Alegre, onde morou a maior parte da vida, casou-se com Dalila Scheibe, com quem teve as filhas Tatiana e Fernanda, médica e administradora, respectivamente. Segundo os familiares, ele era um marido dedicado, um pai exemplar, um avô carinhoso e um amigo leal.

A família agradece o carinho de todos que prestaram apoio e convida para a missa de sétimo dia, que será realizada amanhã, na Catedral Metropolitana de Porto Alegre, às 18h30min.

Data de publicação: 06/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Nelson Ely Filho
Nelson Ely Filho

O empresário Nelson Ely Filho morreu ontem, aos 65 anos, em Porto Alegre. Ele foi vítima de câncer no rim. Nascido em 11 de novembro de 1948, formou-se em Engenharia Mecânica pela PUCRS, em 1974.

Ely trabalhou grande parte da vida na indústria cerâmica. Atuou como presidente e diretor do conselho consultivo da Associação Nacional da Indústria Cerâmica (Anicer), sendo um dos fundadores da associação. Foi diretor da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) e, ultimamente, era proprietário da empresa Cerâmica Ely, locada em Gravataí.

Casado com Heloísa Dieckmann Medeiros, deixa, além da mulher, três filhos (Rafael, Fabiana e Guilherme), duas enteadas (Bruna e Gabrielle), o neto Vicente e outro a caminho.

Segundo familiares, Ely tinha um grande círculo de amizades. Costumava se reunir com seus amigos, grupo que chamavam de "Os Jurássicos", com os quais debatia, entre outros temas, o automobilismo, paixão que os unia. Ely foi piloto de carro, hobby que cultivou por muito tempo - ele correu na inauguração do autódromo de Tarumã, na década de 1970.

Também gostava de pescar, de caçar e, nas horas de lazer com a família, era chefe de cozinha. Adorava ir à praia aos finais de semana com os familiares, hábito simples que o fazia feliz.

A cerimônia de despedida será realizada hoje, às 11h, na capela 3 do Crematório Metropolitano.

Data de publicação: 06/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Ada Flora Magnabosco Spinato
Ada Flora Magnabosco Spinato

Ada Flora Magnabosco Spinato morreu em 24 de janeiro, em decorrência de um acidente vascular cerebral (AVC). Natural de Caxias do Sul, nasceu em 1º de janeiro de 1922 e sempre residiu na cidade.

Filha de Raymundo Magnabosco, um dos primeiros comerciantes de Caxias, Ada ficou responsável por ajudar a família com os afazeres do lar. Ótima dona de casa, dedicou sua vida a cuidar da família.

Casada há mais de 40 anos com Carlos Felippe Spinato (falecido), teve um casal de filhos (Elisabete e Paulo). Católica, participava ativamente de grupos de orações. Com muita fé, sempre tinha uma palavra de conforto e um conselho para seus familiares e amigos e, companheira, sempre colocou a família em primeiro lugar.

Aos 92 anos, Ada deixa os dois filhos, a nora Lucélia e os netos Leonardo e Gustavo.

Data de publicação: 05/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Arno Hugo Augustin
Arno Hugo Augustin

Aos 87 anos, o empresário Arno Hugo Augustin morreu na última quarta-feira, em Porto Alegre, de causas naturais. Natural de Não-Me-Toque, foi nesta cidade que ele, os pais e os irmãos iniciaram atividades comerciais de veículos e máquinas agrícolas. Mais tarde, o negócio foi expandido ao município de Carazinho, onde Augustin fixou residência.

Dotado de um espírito empreendedor, foi produtor rural em Carazinho e no Estado de Mato Grosso.

Casado com Julieta Augustin (falecida), era pai de Carlos Ernesto, Cláudio, Joel e Cezar (estes dois últimos falecidos), e Arno Hugo Augustin Filho, secretário do Tesouro Nacional desde 2007. Além dos filhos, ele deixa os netos Daniel, André e Marina.

Os familiares o descrevem como um homem com espírito de liderança e inteligência, que deixa como principal legado o exemplo de bom caráter, retidão e lealdade com o próximo.

Ele foi velado em Carazinho, na empresa Augustin Veículos, e foi sepultado no Cemitério Evangélico Martim Lutero, na cidade.

Data de publicação: 05/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Frei José Rizzi
Frei José Rizzi

Frei José Rizzi morreu em 5 de fevereiro, na casa paroquial de Ibiraiaras, onde desempenhava a função de vigário paroquial.

Aos 48 anos, com 25 anos de vida religiosa e exatos 20 anos de sacerdócio, teve morte de causas naturais.

Frei José era natural da localidade de São João, em Protásio Alves, e nasceu em 17 de maio de 1965. Filho de Guerino José Rizzi e Jobina Santina Cecchin Rizzi, ingressou com 16 anos no seminário diocesano de Chapecó (SC). Em 1984, iniciou o processo formativo com os Freis Capuchinhos da Província do Rio Grande do Sul, em Passo Fundo, onde concluiu o postulando em 1986. Em 1987, fez o ano do noviciado no Convento São Boaventura, em Marau, concluído com a profissão religiosa em 24 de janeiro de 1988.

Ele cursou Filosofia no Instituto Berthier, de Passo Fundo, e Teologia na Escola Superior de Teologia e Espiritualidade Franciscana, de Porto Alegre, de 1989 a 1993. Nos primeiros anos como sacerdote, foi membro da equipe de missionários populares capuchinhos, em Vacaria. De 2001 a 2008, foi vigário paroquial na Paróquia São Luiz Gonzaga, de Veranópolis.

Desde maio de 2009, viveu e exerceu o ministério pastoral na Paróquia São José, de Ibiraiaras, inicialmente, também como vigário paroquial da Paróquia Conceição, de Caseiros.

Data de publicação: 05/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Jamerson Benicio Porto
Jamerson Benicio Porto

Morreu em 21 de janeiro, em Restinga Seca, Jamerson Benicio Porto, aos 37 anos, de causas naturais. Ele deixa a mulher, Adriana Retamoso Porto e os filhos Samuel e Andrei.

De acordo com a família, Porto, que era vendedor, gostava de fazer gaiolas para criar seus pássaros de estimação. Além disso, adorava pescar e ir a balneários e praias.

Porto foi enterrado no Cemitério Municipal de Restinga Seca.

Data de publicação: 05/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Total de 305 páginas

Siga os perfis de ZH no Twitter

  • zh_esportes

    zh_esportes

    zhEsportesCom Gilberto e Wendell, Seleção Brasileira sub-21 goleia o Palmeiras http://t.co/4Q9M4Z6g8u #Pratas da Duplahá 31 minutosRetweet
  • blogdozini

    blogdozini

    luiz zini piresRio Grande do Sul está atrasado até no Brasileirão: Quatro Estados levantaram títulos do Brasileirão desde 199... http://t.co/xE5SVOlK45há 33 minutosRetweet
clicRBS
Nova busca - outros