Versão mobile

Obituário

Guido Gonzales Muraro
Guido Gonzales Muraro

Em 11 de março, morreu em Porto Alegre o advogado e professor Guido Gonzales Muraro, no Hospital Divina Providência, aos 80 anos. Durante toda a vida, abdicou de bens materiais em razão da família. Em abril, completaria 54 anos de casado com Maria de Lourdes Lemos Muraro. Como pai dedicado, visitava e acompanhava os filhos onde quer que eles estivessem. Segundo familiares, a fé católica, valores e princípios foram os maiores legados que Muraro deixou a eles.

Formado em Filosofia e Pedagogia, lecionou como professor em escolas estaduais e particulares. Como advogado, atuou no Rio Grande do Sul e, por fim, na extinta Telecomunicações do Paraná (Telepar), onde se aposentou em 1992. Também como professor universitário, ministrou disciplinas do curso de Direito no Sebrae e na antiga Fecivel (atual Unioeste), em Cascavel (PR).

Muraro é reconhecido pela família como um intelectual nato, pai presente, dedicado e responsável, um homem de fé com formação religiosa adquirida com os salesianos e praticante dos ensinamentos de Dom Bosco, de quem era um profundo admirador. Também se dedicou às artes, como a música, a pintura e o teatro. Com espírito científico apurado, conforme parentes, ele gostava de debater sobre diversos assuntos.

Como o professor dizia, sua vida dividiu-se em quatro períodos de 20 anos: 20 como estudante, 20 como professor, 20 como advogado e 20 como um inquieto aposentado. Demonstrou ter uma grande visão histórica, teológica e filosófica da natureza humana até o final da vida. Ele deixa a mulher, sete filhos, vários netos e dois irmãos.

A missa de sétimo dia será realizada hoje, na Igreja Santa Cecília, às 18h.

Data de publicação: 18/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Mitch Leigh

Morreu sábado, em Nova York, o compositor Mitch Leigh, aos 86 anos. Ele é o autor de um dos musicais mais populares da Broadway, O Homem de La Mancha, sobre a figura de D. Quixote. O musical, que estreou em 1965, teve mais de 2 mil representações e ganhou cinco prêmios Tony. Sua última obra foi o musical Ain't Broadway Grand (1993), sobre o produtor Mike Todd.

Data de publicação: 18/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Rosina Ingracia da Costa
Rosina Ingracia da Costa

Filha de imigrantes italianos, Rosa, como era conhecida Rosina Ingracia da Costa, morreu aos 94 anos, em 11 de março, na Capital. Dona de casa, desde a morte do marido - integrante do Exército Brasileiro - Rosa se dedicou à família, criando os filhos e auxiliando no cuidado dos netos e bisnetos. Era extrovertida, segura de si e determinada, segundo familiares, além de ser feliz.

Deixa os filhos Maria Regina e Antônio Carlos, os netos Cristiane (mulher de Marcos), Fábio (marido de Deise), Láis, Giedre e Aline, e os bisnetos Giovanna, Stella e Marcello.

Deixa um legado de amor à culinária italiana, ao time do coração, o Grêmio, à Santa Rita de Cássia e à felicidade de estar entre amigos e em família, da qual tinha orgulho.

Data de publicação: 18/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Scott Asheton
Scott Asheton

O músico americano Scott Asheton, morreu sábado, aos 64 anos. Ele foi baterista dos The Stooges, a banda que formou com Iggy Pop em 1967 e que foi considerada a mais forte precursora do som punk.

O quarteto original do Stooges tinha também o guitarrista Ron (1948-2009), irmão de Scott, e o baixista Dave Alexander (1947-1975). Asheton foi o único integrante a tocar em todos os álbuns dos Stooges: The Stooges (1969), Fun House (1970), Raw Power (1973), The Weirdness (2007) e Ready to Die (2013).

Durante os anos de separação da banda, entre 1974 e 2003, ele excursionou como baterista das turnês solo de Iggy Pop e gravou vários álbuns de estúdio, entre ele quatro com o cantor punk Captain Sensible.

De volta aos Stooges na década passada, Asheton interrompeu o trabalho com a banda em 2011, após um festival de rock na França, no qual sofreu um derrame. A causa da morte não foi divulgada. Ele deixa a mulher, Liz, e a filha, Leanna.

Data de publicação: 18/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Seli Monteiro Gazzo
Seli Monteiro Gazzo

Nascida em General Câmara, em 23 de agosto de 1956, Seli Monteiro Gazzo, era uma pessoa alegre, generosa e dinâmica, conforme a família. Filha de Darcy Azambuja Gazzo e Célia Monteiro Gazzo, deixa os irmãos João, Sueli, Amilton, Adelaide, Rita, Ricardo, além de sobrinhos, afilhados e amigos, que prestaram homenagens na cerimônia de despedida no Crematório Metropolitano de Porto Alegre.

A Negra, como era carinhosamente chamada, morreu em 10 de março, depois de lutar contra um câncer de ovário durante dois anos. Trabalhou até a aposentadoria em diversos setores da Refinaria Alberto Pasqualini, onde era querida e admirada. A família conta que o sorriso e a gargalhada dela eram inconfundíveis e estavam presentes mesmo na doença. Negra gostava de boa música, teatro, cinema e da praia de Pinheira (SC). Católica, devota de Nossa Senhora de Schoenstatt, cultivava também o gosto pela leitura e ensinamentos da religião oriental.

Data de publicação: 18/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Wilma Guedes Fagundes
Wilma Guedes Fagundes

Nascida em 2 de junho de 1929, em Porto Alegre, Wilma Guedes Fagundes foi professora de história e geografia na Escola Rainha do Brasil, no Colégio La Salle Santo Antônio e na Escola Técnica Parobé. Filha de Manoel de Oliveira Guedes e Maria da Silva Torres, residiu na Rua Duque de Caxias, na Rua André da Rocha e posteriormente na Rua Luis de Camões, onde morreu.

Estudou no Colégio Sevigné e na Escola Estadual Júlio de Castilhos. Foi casada com Oscar Karnal Fagundes (falecido) por 40 anos, com quem teve dois filhos - Luiz Fernando Guedes Fagundes (falecido) e Paulo Guedes Fagundes, casado com Maira Knop Fagundes - que deram a ela dois netos - Paula e Martin. Deixou também a irmã Maria Teresa Torres Guedes.

A professora morreu em 14 de fevereiro, no Hospital Ernesto Dornelles, aos 84 anos, vítima de complicações causadas pelo diabetes.

Data de publicação: 18/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Carlos Ney Dornelles

Carlos Ney Dornelles morreu aos 87 anos, em 10 de março, em casa, conforme seu desejo. Ele foi vítima de falência múltipla dos órgãos. Natural de Santana do Livramento, viveu boa parte da juventude no Rio de Janeiro, retornando ao Estado, especificamente, a Porto Alegre, onde desenvolveu suas atividades profissionais. Trabalhou por cerca de 30 anos na Mesbla S/A, aposentou-se quando ocupava o cargo de gerente regional do setor de veículos.

Posteriormente, fundou a própria empresa, direcionada ao ramo de ferragens e construções, tendo sido um empresário de sucesso por mais de 15 anos.

Viveu os últimos 17 anos cercado pelos 13 netos, que o adoravam e que foram concebidos por seus quatro filhos - Joao Carlos (falecido), Carlos Alberto, Ney Carlos e Carla. Foi casado com Eleonora dos Santos Dornelles por 59 anos. Deixa também quatro bisnetos.

Dentre suas paixões, destaca-se o Inter, clube do coração, cujo time acompanhou até os últimos momentos. A missa de sétimo dia será neste domingo, na Paróquia Santo Antônio do Pão dos Pobres, às 18h30min.

Data de publicação: 15/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Guaporé, Ary Ceccon
Guaporé, Ary Ceccon

Bancário aposentado e natural de Guaporé, Ary Ceccon morreu aos 75 anos, em 2 de março, no Hospital Moinhos de Vento, devido a complicações de um aneurisma de aorta abdominal. Deixa a mulher, Lourdes, os filhos Eduardo e Gislaine, o neto Vinicius, amigos e familiares.

Formado em Ciências Econômicas, foi admitido em 1960 no Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) como praticante de escritório. Funcionário competente e dedicado, segundo familiares, galgou posições ao longo da carreira. Em 1967, foi promovido a auxiliar de serviços da direção geral.

Reconhecido profissionalmente, foi recrutado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), em 1968, com sede no Rio de Janeiro, onde prestou serviços por aproximadamente um ano.

Retornou a Porto alegre, direcionando a carreira bancária para área da administração geral da instituição e passando a chefiar departamentos de alta importância estratégica, com ênfase aos de planejamento e de organização e métodos.

Em 1984, passou a ocupar o cargo de diretor geral do Banrisul, indicado como funcionário de carreira de forma meritória. Por último, atuou na Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Sul em assessoria à Secretaria da Fazenda.

Data de publicação: 15/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Lelia Maria Philomena Masseti
Lelia Maria Philomena Masseti

Conhecida no bairro Azenha, de Porto Alegre, Lelia Maria Philomena Masseti morreu em 2 de março, aos 80 anos. Filha de Orlando da Frota Philomena e Nilza da Costa Philomena, era irmã de Danilo, Wilson, Luci, Suely e Laurita, todos falecidos.

Lelia foi professora por 25 anos no Colégio Duque de Caxias, sendo responsável pela alfabetização de centenas de jovens que estudaram no "Duque". A habilidade com crianças se repetia no trato com dezenas de sobrinhos e filhos. Mãe atenciosa e mulher dedicada, segundo familiares, casou-se com Cleon Masseti. Juntos, tiveram os filhos Silvia, Henrique e Eduardo.

Lelia era descendente de uma mistura de portugueses e italianos, que legaram a ela grandes habilidades culinárias. Deixa lembranças positivas aos parentes, amigos, vizinhos e os eternos alunos.

Data de publicação: 15/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Aldo Martins
Aldo Martins

Aldo Martins morreu em 7 de março, aos 76 anos. Nascido em São Leopoldo, em 18 de novembro de 1937, era filho de João Martins da Silva e Maria Cândida da Silva, de quem herdou a tenacidade, a retidão de caráter e o espírito empreendedor que estiveram presentes ao longo da vida pública, com amigos e familiares.

Altruísta e trabalhador, segundo a família, Martins foi incansável na luta pela conquista dos direitos trabalhistas dos eletricitários, categoria que integrou no início da carreira. Estendeu os esforços para o reconhecimento sindical de todos os técnicos industriais do Estado, participando ativamente do processo que conduziu à criação do Sindicato dos Técnicos Industriais do RS (Sintec).

Ainda conforme os familiares, a disposição e habilidade dele em congregar pessoas e desenvolver projetos e a constante preocupação com o bem-estar social se traduziram na vida comunitária e na organização de várias entidades. Na CEEE, sua trajetória ao longo de quase 30 anos foi construída com determinação, tendo atuado como administrador. Deixará um legado de generosidade, sabedoria e luz à mulher Maria Luiza, aos filhos Maria Cristina, Alexandre e Cláudia, nora, genros e netos.

Data de publicação: 15/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
José Ecelino Fornari
José Ecelino Fornari

Aos 78 anos, José Ecelino Fornari morreu em 25 de fevereiro, no Hospital Manuel Francisco Guerreiro, em Guaporé. Ele lutava havia quase 15 anos contra esclerose lateral amiotrófica, doença que lhe restringiu os movimentos e comprometeu sua qualidade de vida, especialmente nos últimos anos.

Católico, era membro atuante da igreja e do grupo de cursilho de cristandade da cidade. Os colegas de religião, padres e amigos lhe confortaram no convívio com a doença. Casado havia 57 anos, deixa a viúva Lucy Chitolina Fornari e o filho Alexandre Fornari. Filho mais velho dentre oito irmãos, Fornari iniciou a carreira profissional como motorista. Chegou a ter a própria transportadora, da qual se desfez quando se aposentou. Ainda assim, continuou trabalhando. Segundo familiares, ele era uma pessoa dedicada ao trabalho e à fé. Exemplo de pai e marido, demonstrava amor incondicional à família, parentes e amigos. Fornari deixa a eles uma lição de vida para enfrentar as dificuldades, com positividade e sem ressentimentos.

Data de publicação: 15/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Nelson Antônio Branco Cerqueira
Nelson Antônio Branco Cerqueira

Nascido em 7 de setembro de 1938, em Curitiba, o gaúcho de coração Nelson Antônio Branco Cerqueira morreu em 10 de março. Filho de Américo Raul da Cunha Cerqueira e Nedy Maria Branco Cerqueira, foi casado por 49 anos com Siomara Vilanova Cerqueira. Deixa os filhos Nelson Antônio, Cristina Maria e Luis Fernando, e os netos Fernando e Arthur Francisco.

Funcionário aposentado do Banco do Brasil, foi um dos fundadores do Grupo de Cultura Gaúcha Rancho Posteiro da Associação Atlética do Banco do Brasil de Porto Alegre, onde, por 20 anos, exerceu várias atividades com alegria, disposição e criatividade em meio à dança e o convívio com amigos.

A vida de Cerqueira foi marcada pela dedicação à família - sendo filho, irmão, marido, pai e avô exemplar -, por grandes amizades, por companheirismo e ternura, conforme lembram os parentes.

A missa de sétimo dia será neste domingo, às 18h30min, na Paróquia Coração de Jesus (Rua Coronel Manuel Py, s/n, bairro Higienópolis, em Porto Alegre).

Data de publicação: 15/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Aurea Theresa Vargas Barreto
Aurea Theresa Vargas Barreto

Aurea Theresa Vargas Barreto morreu em 6 de março, aos 84 anos, viúva de Flavio Mario Accurso. Formou-se em Pedagogia na UFRGS e foi professora em Cachoeira do Sul, Bagé e Porto Alegre. Nascida em 20 de junho, era mãe de Ana Thilde Severo, avó de Gustavo, Vinicius e Tiago Severo. Aurea deixa um legado de admiração para a família, tendo sido ativa na criação dos netos, todos formados na UFRGS: um juiz federal em Criciúma, um neurocirurgião em Cachoeira do Sul, e o terceiro, doutor pela Universidade de Harvard, nos EUA, economista residente em Nova York. Segundo familiares, Aurea sempre foi um exemplo a todos ao seu redor. Era caracterizada como uma mulher culta, inteligente, vaidosa, sorridente e muito amável.

Data de publicação: 14/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Darcísio José Utzig
Darcísio José Utzig

Morreu em 4 de março, aos 84 anos, Darcísio José Utzig, vítima de um acidente vascular cerebral (AVC) isquêmico.

Natural de Selbach, Utzig residia havia 38 anos em Santo Ângelo, onde deixa a mulher, Neusa, as filhas Karine e Karla, o genro Paulo Sérgio e o neto Lorenzo. Ex-padre, atuou nas dioceses de Erechim, Bagé e Carazinho. Segundo a família, ele construiu uma história de amor e dedicação com Neusa, a qual ficará marcada na vida daqueles que conviveram com ele, seja na família, na comunidade e nos momentos que esteve reunido com os amigos.

Após a cerimônia, na catedral da cidade, seu corpo foi transladado ao Crematório Dom José, cumprindo seu desejo de ser cremado.

Data de publicação: 14/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Ezio Luiz de Oliveira
Ezio Luiz de Oliveira

Morreu em decorrência de leucemia, em 1ºde março, Ezio Luiz de Oliveira, aos 70 anos.

Homem bom e generoso, segundo familiares, Oliveira atuou durante toda a vida na Corsan, onde conheceu a mulher Dora, colega na área de Recursos Humanos.

Natural de Canela e colorado, trabalhou em diversas cidades do Estado, mas nos últimos anos estava na sede da empresa em Porto Alegre. Desde a aposentadoria, realizava um de seus sonhos: morava à beira-mar na praia de Itapema (SC). Devido à doença, retornou à Capital, deixando de lado uma das suas paixões.

Ele deixa a mulher, Dora, o filho Junior, nora, netos, familiares e amigos. A família conta que Oliveira aparentava ser, para muitos conhecidos, uma pessoa séria, mas, segundo eles, isso era apenas uma impressão. Ele amava a todos e demonstrava carinho.

Data de publicação: 14/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Lacy José Raymundi

O bacharel em Direito Lacy José Raymundi morreu em 7 de março , devido a causas naturais, em Garibaldi, onde era registrador de imóveis. Alma sensível, conforme a família, Raymundi foi poeta, autor do livro de sonetos Queixas do Só e de várias obras de quadras poéticas, gênero em que mereceu premiações nacionais. Amante de literatura e música, possuía extraordinária biblioteca e discoteca particulares. Natural de Sananduva, ele deixa a mulher, Terezinha Camozzato Raymundi, os filhos Cristiane e Fabiano, o genro Guilherme Breda de Castro, a nora Ângela Maria Atz Raymundi e o neto Artur.

Data de publicação: 14/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Bertoldo Lauer Filho
Bertoldo Lauer Filho

O técnico em radiodifusão Bertoldo Lauer Filho morreu em 4 de março, aos 75 anos, vítima de acidente vascular cerebral (AVC). Ele era filho de Bertoldo Lauer, nascido na Alemanha, e de Adele Kitzmann, originária da Rússia, que vieram ao Brasil em meio à II Guerra Mundial. Radicados em Rio Grande, tiveram seis filhos, entre os quais o mais velho, Bertoldo Filho. Ele se mudou com a família para Cerro Largo, onde começou a praticar técnicas de eletroeletrônica. Passou a residir em Porto Alegre ainda adolescente e aprimorou-se na Escola Técnica Parobé, iniciando a carreira profissional na Rádio Guaíba e integrando a equipe técnica do professor Homero Simon. Transferiu-se mais tarde para a Rádio Gaúcha, a convite de Maurício Sirotsky Sobrinho, antes de trabalhar na Rádio Continental, em sua fase áurea, na década de 1970.

Foi também sócio das rádios Sucesso e Transamérica, de Porto Alegre, onde implantou o primeiro sistema de radiodifusão por satélite no Estado, e da Rádio 88.7 FM. Lauer Filho participou dos congressos de entidades ligadas à radiodifusão e publicou inúmeros artigos técnicos em obras nacionais e internacionais.

Ele era casado com a dentista Maria Neucy Sant'Anna Lauer e tinha um filho, Marcio Andrei Lauer, que lhe deu quatro netos.

Data de publicação: 14/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Carmelinda Eva Machado
Carmelinda Eva Machado

Carmelinda Eva Machado morreu em Porto Alegre, em 8 de fevereiro, aos 66 anos. Nascida em Garibaldi, era filha de João José Machado e Zelina Maria Saibel, sendo a caçula da família. Era doméstica e mudou-se para a Capital há mais de 25 anos, onde conquistou amigos e familiares.

Data de publicação: 13/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Dalila Margarida Vacaro
Dalila Margarida Vacaro

A professora Dalila Margarida Vacaro, natural de Guaporé, morreu em 7 de março, no Hospital Ernesto Dornelles. Aos 74 anos, foi vítima de câncer no pâncreas.

Dalila foi presença marcante na evangelização do Santuário Nossa Senhora do Trabalho, tendo dedicado os últimos anos de vida a transmitir os ensinamentos de Jesus e Maria. Deixa no prelo livro que resume a extensa obra O Evangelho segundo Maria Valtorta, no qual trabalhou.

Casada com Bernardo João Vacaro (falecido), teve quatro filhos: Daniel José, Simone, Mônica e Adriano. Deixa, ainda, os netos Felipe, Débora, Bernardo, Raquel e Isabela.

A missa de sétimo dia será celebrada amanhã, às 18h30min, no Santuário Nossa Senhora do Trabalho.

Data de publicação: 13/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Total de 307 páginas

Siga os perfis de ZH no Twitter

  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraPassageiro é preso após suspeita de sequestro a voo da Virgin Australia: http://t.co/oI715MdXyPhá 29 minutosRetweet
  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraFOTOS: carros ficam destruídos em dois acidentes na zona norte de Porto Alegre: http://t.co/4pnbBA8WMjhá 1 horaRetweet
clicRBS
Nova busca - outros