Versão mobile

Obituário

Solon Caldas Morel
Solon Caldas Morel

Nascido em 30 de setembro de 1924, Solon Caldas Morel morreu em 13 de março, no ano em que completaria nove décadas de uma vida dedicada aos familiares e amigos. Morel era conhecido por sua integridade, trabalho, força, gosto pela música clássica e pela paixão pelo Grêmio, além do seu característico senso de humor.

Fundador do Ginásio Nossa Senhora dos Anjos e membro do conselho do Paladino Tênis Clube, estava sempre envolvido em ações comunitárias. Ele deixa a mulher, dois filhos, quatro netos e dois bisnetos.

Data de publicação: 29/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Albino Eloy Schweitzer

Fundador da Calçados Bibi, o empresário Albino Eloy Schweitzer morreu terça-feira, aos 90 anos. Ele inaugurou a empresa calçadista em 1949, quando tinha 25 anos, e manteve-se na direção até meados dos anos 1980.

Participou ativamente do desenvolvimento de Parobé, sendo presidente da Paróquia Evangélica e do Grêmio Esportivo Parobé, delegado regional da Federação Gaúcha de Futebol e fundador do Lions Clube.

Schweitzer também foi um grande incentivador da cultura da região. Ele trouxe o primeiro cinema a ser instalado no município nas décadas de 1950 e 1960. Aos 90 anos, deixa a mulher, Hedwig Maria Schweitzer, os filhos Dailor Eloy Schweitzer e Suzana Maria Schweitzer, a nora Ana Lúcia Schweitzer e o genro Marlin Kohlrausch.

Data de publicação: 28/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Antonio Oliveira Justo
Antonio Oliveira Justo

Antonio Oliveira Justo morreu em 21 de março, aos 90 anos. Conforme seu desejo, o corpo foi velado e sepultado em sua terra natal, Dom Pedro de Alcântara, onde viveu até os 34 anos. Depois, mudou-se para Porto Alegre com a família.

Era casado havia 67 anos com Maria Bernst Justo, com quem teve oito filhos - Eloy (falecida), José Helio, Gladir, Elsa, Maria Heloiza, Eloá, Elizabeth e Elisa-, além de 14 netos e cinco bisnetos.

Ula, como era carinhosamente chamado por amigos e parentes, era conhecido por ser um homem íntegro e trabalhador. Ao lado da mulher, tinha orgulho de ver todos os filhos formados. Solidário, sempre se preocupava em ajudar o próximo. Deixa na lembrança dos familiares um exemplo de humildade e generosidade.

A missa de sétimo dia será realizada hoje, às 19h, na Igreja São Francisco de Assis (Rua Domingos Crescêncio, 567, Porto alegre).

Data de publicação: 28/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Arduíno Chies
Arduíno Chies

O empresário Arduíno Chies morreu em 20 de março, no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre. Fundador da empresa Chies Produtos Ltda., destacava-se pela liderança, inovação e espírito empreendedor, segundo familiares. Ele era formado em Administração de Empresas e dedicava a vida aos negócios e à família.

Casado com Elisabeth Mottin Chies havia 46 anos, deixa, além da mulher, os filhos Guilherme e Leonardo, ambos administradores.

Parentes relatam que Arduíno será lembrado como um exemplo de pai, marido e amigo, deixando um legado de honradez, ética e, sobretudo, senso de humanidade - seus gestos de bondade, carinho e generosidade ficarão na memória dos que o conheceram e com ele conviveram.

A missa de sétimo dia será celebrada hoje, às 18h, na Igreja São Pedro (Avenida Cristóvão Colombo, 1.629, na Capital).

Data de publicação: 28/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Paulo Schroeber
Paulo Schroeber

O músico Paulo Schroeber morreu segunda-feira, aos 40 anos, em Caxias do Sul. Ele tinha problemas cardíacos e estava internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Nossa Senhora Medianeira.

"O procedimento de reconfiguração do aparelho cardíaco não surtiu efeito, e o músico precisava urgentemente de um transplante", disse a assessoria dele, em nota.

Como guitarrista, ele tocou em diversas bandas de metal brasileiras, entre as quais se destacam Burning Hell, Predator, Fallup, Almah e Hammer 67. Com o Almah, lançou dois discos: Fragile Equality (2008) e Motion (2011).

Pelo Facebook, a banda relembrou o trabalho de Schroeber e o homenageou:

"Paulo, além de um músico extremamente talentoso, era uma pessoa única, de uma bondade e um bom humor genuinamente especiais. A força e a naturalidade com a qual ele lidava com o seu quadro eram admiráveis", disse o grupo, em nota.

O cantor Edu Falaschi, vocalista do Almah, também se manifestou pela rede social, dizendo ter ficado "em choque" na primeira vez em que ouviu o guitarrista tocar, "tamanha a técnica e facilidade" que ele possuía.

"Eu gostaria muito de agradecer à família Schroeber por ter cuidado com todo o amor do nosso parceiro até seu ultimo suspiro! Esse cara lutou muito, até o fim, tocando sua guitarra, que era um dos grandes motivadores de sua batalha! Parceiro Paulão, "Paulo Veio" como nós o chamávamos, descanse em paz onde você estiver! Sentiremos muitas saudades de você!"

Data de publicação: 28/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
James Schlesinger
James Schlesinger

James Schlesinger, ex-secretário americano da Defesa e diretor da Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês) durante as presidências republicanas de Richard Nixon e Gerald Ford, morreu ontem, aos 85 anos.

Schlesinger morreu em um hospital de Baltimore (Maryland, leste dos Estados Unidos), em conse- quência de uma pneumonia, informou sua filha Ann ao jornal The Washington Post.

"Deixou uma marca impressionante na segurança e na política energética americana", afirmou em sua página institucional o Center for Strategic and International Studies (CSIS), um prestigioso "think tank" com sede em Washington.

Há 30 anos, ele era membro do conselho administrativo do CSIS.

Nascido em 1929, em Nova York, Schlesinger era economista e considerado um especialista em temas de segurança. Entrou para a equipe da Casa Branca em 1969, reduzindo o orçamento do Pentágono, apesar da Guerra do Vietnã.

Mais tarde, envolvido no caso Watergate, o presidente Richard Nixon nomeou James Schlesinger por seis meses (de janeiro a julho de 1973) para ficar à frente da CIA, antes de levá-lo ao Pentágono. Em 1975, o presidente Gerald Ford, que não o suportava, prescindiu de seus serviços.

Na eleição de 1976, Schlesinger resolveu apoiar o adversário de Ford, o democrata Jimmy Carter, que o nomeou secretário de Energia.

Data de publicação: 28/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Maria Isabel Marocco Milanez
Maria Isabel Marocco Milanez

A professora Maria Isabel Marocco Milanez morreu ontem, aos 63 anos. Ela atuou no curso de Arquitetura e Urbanismo da UniRitter por 30 anos, sempre dedicada ao ensino de qualidade na área. As aulas estão suspensas no curso nesta manhã. A cerimônia de despedida ocorre no Crematório Metropolitano, e a cremação será às 14h de hoje.

Marcou a formação de gerações de arquitetos egressos do centro universitário, tanto na convivência em aula quanto na formulação da proposta educacional do urbanismo. Exerceu atividades também como coordenadora do curso. Bela, como era conhecida, presidiu o Instituto dos Arquitetos do Brasil RS (IAB-RS) nos anos de 1984 e 1985, tendo atuado sempre no sentido da afirmação política, legal e institucional da profissão. Urbanista por vocação e formação, atuou junto a órgãos públicos municipais e estaduais em importantes projetos de planejamento em âmbitos diversos, desde a habitação popular, até planos de desenvolvimento regional.

Graduada em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, em 1977, tinha especialização em desenho urbano (1984), mestrado em Arquitetura (2002) e doutorado (2013), todos pela UFRGS. Atualmente, era professora titular e coordenadora setorial de pós-graduação do curso. Bela também trabalhava em um escritório particular, com projetos de desenho urbano, urbanismo, planejamento e desenvolvimento urbano e ambiental.

Segundo amigos e colegas, ela era uma pessoa bem comunicativa e participativa no envolvimento com os alunos, sempre brigando pelo que achava melhor para eles.

Deixa duas filhas e dois netos.

Data de publicação: 28/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Sandro Schreiner
Sandro Schreiner

O jornalista Sandro Schreiner morreu ontem, aos 46 anos, no Hospital Santa Clara, em Porto Alegre. Ele foi vítima de câncer no aparelho digestivo. Nascido em Caçapava do Sul, formou-se em Jornalismo na UFSM. Trabalhou como assessor nos governos de Antônio Britto, em 1997, e Germano Rigotto, de 2002 a 2006. Também atuou em veículos de comunicação, como no jornal Correio do Povo, Coletiva.net e Revista Voto, além da própria empresa de consultoria.

Conhecido pelos amigos e familiares como um homem alto astral, Schreiner colecionava viagens a trabalho na companhia do governador Rigotto. O amigo e colega de profissão Gilberto Jasper o descreve como brincalhão e elogia sua forma de escrita.

- A pessoa que eu melhor vi escrever nos meus mais de 30 anos de jornalismo foi ele. O Sandro tinha facilidade para escrever sobre qualquer coisa. Lia um assunto e escrevia um texto de 3 mil caracteres em poucos minutos - conta Jasper.

O jornalista Luiz Carlos Leivas Mello lembra que nunca viu Schreiner brigar com ninguém. Segundo ele, o amigo era ponderado, conciliador e humanitário.

- Sandro estava sempre de bem com a vida. Adorava viajar, estava sempre bem disposto. Vai fazer muita falta - lamenta Mello.

A despedida será hoje, no Cemitério Municipal de Caçapava do Sul. Schreiner deixa a mulher, Rita, e as filhas Marina e Helena.

Data de publicação: 28/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Ator de “Homeland” morre aos 65 anos
Ator de “Homeland” morre aos 65 anos

O veterano ator James Rebhorn morreu sexta-feira, aos 65 anos. De acordo com o site The Hollywood Reporter, ele estava em casa com a sua família, em New Jersey, Estados Unidos. A notícia só foi divulgada ontem.

Aagente do ator, Dianne Busch, confirmou que a causa da morte foi um melanoma, diagnosticado em 1992. "Ele batalhou contra isso durante todo esse tempo", disse Dianne ao site The Hollywood Repórter.

James Rebhorn teve uma carreira que durou mais de cinco décadas, com papeis no cinema, na televisão e no teatro. Recentemente, ele estava no ar como Frank, o pai de Carrie na premiada série Homeland. Na televisão, participou de vários seriados, entre elas Law & Order, The Third Watch, White Collar, Seinfeld, The Practice, Boston Legal e 30 Rock.

Rebhorn trabalhou em filmes como O Talentoso Ripley, Independence Day, Perfume de Mulher e Entrando Numa Fria. Suas últimas aparições no cinema foram em Gigantes de Aço e A Estranha Vida de Timothy Green. Também atuava no teatro em Nova York. Em novembro, tinha estrelado uma peça em que fazia o papel de um homem que sofria de Alzheimer.

Ele deixa a mulher e duas filhas.

Data de publicação: 25/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Carmelinda Capra Thomazoni
Carmelinda Capra Thomazoni

Aos 82 anos, Carmelinda Capra Thomazoni morreu em 11 de março, em Caxias do Sul. Nona, como era conhecida pelos familiares, nasceu em Nova Prata e casou-se em Guaporé com Severino Thomazoni (falecido), mas morava em Caxias havia mais de 40 anos. Ela teve seis filhos (Ana Maria, Bertila, Edite, Heitor, Carmen e Cláudia).

Neta de imigrantes italianos, sempre levou consigo as tradições, acendendo diariamente o fogão a lenha. Uma de suas paixões era cozinhar e "brustolar" a polenta. Nona sempre gostou muito de acampar e pescar, seus passatempos preferidos.

Quando morou em Guaporé, trabalhava em casa e na colônia plantando milho, cortando lenha, cuidando das galinhas e tirando leite das vacas para fazer queijo. Em Caxias, foi dona de uma pensão na Rua Olavo Bilac.

Para a família, ela deixa um vazio enorme no bairro Rio Branco, pois a maioria das pessoas a conhecia pelo seu jeito simples e amável de tratar a todos, com chimarrão, amendoim torrado e polenta com queijo para receber as visitas. Além dos filhos, Nona deixa oito netos.

Data de publicação: 25/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Rubem Dornelles Leal

Rubem Dornelles Leal, 74 anos, morreu em 22 de fevereiro, devido de um acidente vascular cerebral (AVC). Ele nasceu em São Luiz Gonzaga e morou grande parte da vida em Porto Alegre. Tinha duas filhas, Maristela e Cleuza, que moram em Santa Maria.

Na Capital, Leal trabalhou como metalúrgico e tinha uma lancheria. Segundo a filha Cleuza, o pai era uma pessoa de bom coração.

Ela conta que quando ele reunia a família para fazer churrasco, geralmente aos domingos, sempre repartia com os carentes da rua. Cleuza relata ainda que Leal era muito carinhoso e brincalhão. O que mais gostava era ir para o Interior, já que foi criado na roça.

- Apesar de não ter morado com ele, não tenho queixa nenhuma. Sempre foi um bom pai - diz Cleuza.

O sepultamento ocorreu em 22 de fevereiro, no Cemitério Jardim da Saudade, em Santa Maria.

Data de publicação: 25/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Antonio Missau
Antonio Missau

Morreu, em 3 de março, de causas desconhecidas, Antonio Missau, 63 anos. O agricultor, filho de Nelsis e Maria Missau, nasceu e morou por toda a vida na localidade de Vale Vêneto, no interior de São João do Polêsine. Ele não era casado e não tinha filhos, mas sim os irmãos Juraci, Anilto, Paulo, Roberto, Enio, Ana e Marineusa, cunhados e 11 sobrinhos.

Segundo a irmã Ana, Tâni, como era conhecido, era muito dedicado ao trabalho, cultuando as plantações que herdou dos pais. Seu principal lazer era jogar bocha. Defendeu a Sace Polesinense, com quem conquistou vários títulos. Era também um tradicionalista italiano: costumava participar dos desfiles da Semana Italiana. As missas eram obrigatórias nos sábados, já que era um católico fervoroso. Além disso, nos fins de semana, também era costume assar o tradicional churrasco com o cunhado Sérgio Abelin, de quem era muito próximo.

- Ele era uma pessoa muito querida. A Sace era sua segunda casa, de tanto que gostava de jogar bocha - relembra a irmã.

O sepultamento foi realizado dia 4 no Cemitério de São João do Polêsine.

Data de publicação: 25/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Antonio Octavio Ferro
Antonio Octavio Ferro

Natural de Nova Prata, Antonio Octavio Ferro nasceu no dia 25 de julho de 1942. Aos 71 anos, era morador de Caxias do Sul desde os 13 anos, quando mudou-se com a mãe e os irmãos, após o falecimento do pai.

Casado com Marlene Teponti Ferro, completou 50 anos de união em 4 de janeiro deste ano. Toninho, como era carinhosamente chamado pelos parentes e amigos, teve dois filhos (Carmencita e Marco Antônio), quatro netos (Kethlen, Franciele, Camila e Matheus) e o bisneto Lucca.

Na vida profissional, aventurou-se em diferentes áreas. Foi taxista, vendedor de picolé, garçom e funcionário de uma lavanderia, mas foi empreendendo restaurantes que se destacou. Ele morreu em 27 de fevereiro, vítima de infarto.

Data de publicação: 24/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Edson Alcides Almeida de Godoi
Edson Alcides Almeida de Godoi

Edson Alcides Almeida de Godoi morreu no dia 26 de fevereiro, vítima de acidente de trânsito, aos 48 anos. Era natural de Vacaria, mas residia em Caxias do Sul desde 1977. Edson sempre trabalhou com transportes. Foi dono de sua própria carreta, mas atualmente trabalhava como motorista de uma van.

Apaixonado pela vida e pela família, teve dois filhos (Eloi e Rodrigo) e o neto Henrique. Torcedor do Grêmio e do Juventude, gostava de viajar para a praia e de pescar. Segundo a irmã Margarete, Godoi era muito sorridente e estava sempre de bem com a vida. Outra de suas paixões, ainda segundo a irmã, era ir a almoços de colônia.

Ele deixa, além dos filhos e neto, a mãe, Celuta, os irmãos (Antônio, Soleci e Margarete), sobrinhos, cunhados e muitos amigos.

Data de publicação: 24/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Jaime Inácio de Oliveira
Jaime Inácio de Oliveira

O padre palotino Jaime Inácio de Oliveira morreu em 22 de fevereiro, aos 60 anos, de causas naturais. Natural de Pedra Azul (MG), era filho de Gerolino Inácio de Oliveira e Maria Meireles Machado. O casal teve 10 filhos, sendo Jaime Inácio, o segundo. Ele realizou os estudos básicos em sua terra natal, onde também exerceu a profissão de comerciário.

Mudou-se para Santa Maria em 1978, quando iniciou o Curso Integrado de Filosofia e Teologia no Colégio Máximo Palotino. Depois, passou por Buenos Aires, Anori (AM) e, novamente, Pedra Azul, onde recebeu a ordenação sacerdotal do bispo dom Gutemberg Regis Freire, em 1986.

Em 1988, pediu afastamento do ministério sacerdotal, o que se prolongou por 20 anos. Em 2008, reingressou nos estudos e fez novamente a primeira consagração em Vale Vêneto, no distrito de São João do Polêsine, em 6 de janeiro de 2009.

O padre estava morando no seminário. Jaime Inácio fez o retiro em Vale Vêneto e estava participando do encontro de planejamento e convivência em Praia Azul, no litoral gaúcho. Durante o encontro, começou a sentir fortes dores abdominais e foi levado para o hospital, em Torres, sendo transferido para o Hospital de Caridade.

O enterro ocorreu no Cemitério dos Padres Irmãos Palotinos, no distrito de Vale Vêneto, em São João do Polêsine, em 23 de fevereiro.

Data de publicação: 24/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Yolanda de Souza Santos
Yolanda de Souza Santos

Morreu em 7 de março Yolanda de Souza Santos, em decorrência de insuficiência cardíaca. Ela completaria 97 anos no dia 2 de abril e estava internada no Instituto de Cardiologia.

Natural de Porto Alegre, era viúva de José Guaracy Santos, com quem foi casada por 60 anos. Deixa os filhos Clovis, Cleonice ,Cléa, Cleidi, Cleusa, e Claiton.

Desde que ficou viúva, há 15 anos, foi cuidada com carinho pela filha Cleusa, com quem residia. Segundo familiares, Yolanda era vaidosa, gostava de reunir os filhos, netos, bisnetos, genros e noras em grandes almoços e em festas de Natal. Além dos filhos, deixa 20 netos, 16 bisnetos e um grande número de sobrinhos, sobrinhos-netos e amigos.

Data de publicação: 24/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Sonhalci Moreira Ibaldo
Sonhalci Moreira Ibaldo

Sonhalci Moreira Ibaldo morreu em 4 de março, aos 71 anos, vítima de um infarto. Dona de casa, era filha de Euclides Ibaldo e Araci Moreira Ibaldo. Ela deixa os filhos Stella Nuccia, James Laurence, Francis Julian e Jean Felipe, os irmãos Nilva, José Luiz (falecido), Hormecinda e Juarez Claudio, netos, sobrinhos e demais familiares. Natural de Santana do Livramento, residia em Santa Maria. Segundo parentes, ela era uma mulher bonita, vaidosa e faceira. A missa de 30º dia será realizada em 4 de abril, às 18h, no Santuário Medianeira, em Santa Maria.

Data de publicação: 24/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Clarinha Roggia Benvenutti
Clarinha Roggia Benvenutti

Clarinha Roggia Benvenutti morreu em 2 de março, aos 98 anos, vítima de insuficiência cardíaca. Nascida em Cruz Alta, em 14 de setembro de 1915, era filha de Lourenço Roggia e Carlota Ravazzolo Roggia. Foi casada com Clemente Benvenutti (falecido), viúvo que tinha três filhos, Maria Ivone, Ivan e Neusa, os quais Clarinha ajudou a criar e educar. Com a morte do marido, em 1970, mudou-se para Porto Alegre.

Clarinha viveu como modista, tendo costurado para ateliers e clientes de Cruz Alta e Porto Alegre, só parando em virtude da doença.

Segundo familiares, ela era uma pessoa estimada pelos parentes e amigos, sempre disposta a ajudar o próximo. Frequentava a Igreja de Santa Terezinha e gostava de viajar e visitar os conhecidos.

Data de publicação: 22/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Hilda Lydia Matte Seyboth
Hilda Lydia Matte Seyboth

Nascida em 24 de setembro de 1929, em Porto União (SC), Hilda Lydia Matte Seyboth passou a infância em Cachoeira do Sul e mudou-se para Estrela após o casamento, em 14 de outubro de 1950.

Mulher, mãe, avó e bisavó dedicada, conforme a família, Hilda era exemplo aos amigos e familiares, sempre pronta a auxiliar o próximo.

Atuou em diversos segmentos da comunidade estrelense, tendo sido presidente do primeiro Clube de Mães de Estrela e presidente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). Participou do Grupo de Bolão Sempre Unidas, do Grupo de Danças Folclóricas Alemãs, "Os Coroas" de Estrela e acompanhou o marido em iniciativas como a diretoria da comunidade católica, diretoria da Soges. Ainda apoiou os filhos e netos em suas atividades e necessidades.

Segundo a família, Hilda adorava cozinhar, e utilizava os dotes culinários para reunir os conhecidos. Com conduta exemplar, pautou a vida na fé cristã, tendo participado do Movimento de Cursilhos da Cristandade, Encontro de Casais com Cristo, deixando um legado a todos os que tiveram o privilégio de conviver com ela.

Hilda morreu em 17 de fevereiro, aos 84 anos. Deixou o marido Friedrich Wilhelm (Fritz) Seyboth, quatro filhos (Erna Ottilia, Frederico, Eleonora e Leonardo), genro, noras, 10 netos e seis bisnetos. Também ficam incontáveis amigos que a amavam e a respeitavam.

Data de publicação: 22/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
João Cesar Guaspari Papaleo
João Cesar Guaspari Papaleo

Morreu em 12 de fevereiro, em Goiânia, aos 75 anos, o juiz de direito aposentado João Cesar Guaspari Papaleo, filho de Celso Cézar Papaleo e Lina Guaspari Papaleo. Papaleo nasceu em Porto Alegre, onde se formou em Direito pela PUCRS.

Advogou em São Paulo e Rio Janeiro, onde adquiriu os títulos de mestre e doutor em Direito Privado pela UFRJ, lecionando na universidade por alguns anos.

Membro correspondente do Instituto de Direito Comparado Luso Brasileiro, foi autor de vários artigos jurídicos e publicou o livro Contrato a Favor de Terceiro. Recebeu a mais alta comenda de Goiás, a Medalha Pedro Ludovico Teixeira. Tornou-se promotor de Justiça e, posteriormente, juiz de direito, no seu estado natal.

Casado com Hélia Flores Chaves Guaspari Papaleo, teve quatro filhos: Celso Cézar, Maria Beatriz, João Paulo e Maria Raquel.

Em Goiás, jurisdicionou várias comarcas. Nos últimos 23 anos, atuou na comarca de Jataí, onde fixou residência.

Destacou-se, tanto no Ministério Público quanto na magistratura, pelo saber jurídico, pela sensibilidade e pela independência. Segundo familiares, Papaleo tinha o perfil humanista, decorrente de estudos de línguas e literatura e de sua incursão na poesia. Também se dedicou ao esporte, chegando a ser faixa preta em taekwondo e judô. Afetivo, era dedicado à família e aos amigos. Além da mulher e dos filhos, deixa o irmão Marco Antônio e os primos Marco Aurélio Papaleo, Ângela Beatriz Papaleo, Osvaldo Guaspari Sudbrack e Umberto Guaspari Sudbrack.

Seus gestos de bondade, carinho e generosidade permanecerão na memória dos que o conheceram e com ele conviveram.

Data de publicação: 22/03/2014Comunicar um amigo | Enviar condolências
Total de 305 páginas

Siga os perfis de ZH no Twitter

  • zerohora

    zerohora

    Zero Hora'Só olhávamos os helicópteros trazendo os corpos', relata catarinense que está no Monte Everest: http://t.co/XnmDoCflZxhá 3 horas Retweet
  • zh_esportes

    zh_esportes

    zhEsportesContra o Vitória, Inter estreia no Brasileirão e tenta não repetir campanhas dos últimos anos http://t.co/xGHy9rh6Cx http://t.co/RqtKNkfJx2há 3 horas Retweet
clicRBS
Nova busca - outros