Versão mobile

Desabafo21/02/2014 | 10h01

Fabrício admite erro em expulsão contra o Juventude: "Fui deselegante"

Apesar de ter prometido mudar em 2014, o camisa 6 do Inter teve uma recaída na terça-feira. Ao falar com o Diário Gaúcho, assumiu que errou e que precisa se acalmar

Enviar para um amigo
Fabrício admite erro em expulsão contra o Juventude: "Fui deselegante" EDU ANDRADE/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Vai com calma, Fabrício, com calma Foto: EDU ANDRADE / FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Apesar da recaída, Fabrício está mudado. Assumiu o erro que o levou a ser expulso na
terça-feira, contra o Juventude, com o mesmo ímpeto com que encarou o zagueiro Diogo. Quinta, em conversa com o Diário Gaúcho, o lateral-esquerdo reconheceu:

– Fui deselegante.

Abel alertou para as provocações

Nem mesmo o alerta de Abel Braga antes do jogo evitou que Fabrício caísse na provocação dos caxienses. Do treinador, o grupo ouviu que a rivalidade acirrada com o
Juventude, por vezes, descamba para confusão. Nessas horas, é aconselhável segurar a onda. Foi exatamente o que o lateral teve de ouvir no vestiário pouco depois de sua expulsão.

Levou um puxão de orelhas de Abel. Para Fabrício, merecido. Mas ele dá sua versão para a recaída.

– Na verdade, já tinha tomado a joelhada no chão. Quando levantei, discuti com ele (Diogo). E o empurrei. Depois, tomei um tapa na cara. Aquilo ali me deixou indignado. Deu aquela confusão, e o juiz me expulsou – detalhou.

Está na hora de mudar

A situação cegou Fabrício e fez com que esquecesse a meta para 2014, revelada ainda na pré-temporada: ficar longe de confusões. No ano passado, só no Brasileirão, foram seis amarelos e dois vermelhos. No Gauchão, foram mais três amarelos. Na Copa do Brasil, foram três amarelos e um vermelho – no total foram 12 amarelos e três expulsões.

Há ainda no histórico a discussão com Dorival Junior em meio ao jogo no Maracanã, em 2012. Nas férias, o lateral rememorou tudo isso e decidiu que, aos 27 anos, estava na hora de mudar. A disposição em evitar novas expulsões é tanta que, ainda em Novo Hamburgo, fez um pedido ao grupo:

– Errei. Pensei que ia me controlar. Ainda prejudiquei a equipe. Mas já falei para a rapaziada: quando acontecer isso, é para me puxar dali (da confusão), me tirar logo.

Um dos goleadores do time em 2014, com quatro gols, e sem a sombra de Kleber, Fabrício sabe que falta apenas controlar o ímpeto para se firmar de vez. Por isso, mostra urgência nessa transformação:

– Quero mudar o mais rápido possível.

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga os perfis de ZH no Twitter

  • transitozh

    transitozh

    Trânsito Zero HoraRT @EPTC_POA: 12h42 - Direto das câmeras: Trânsito lento nas principais vias na área central e no acesso pelo Túnel da Conceição. http://t.…há 25 minutosRetweet
  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraJader Marques, que defende sócio da boate Kiss, será o advogado do pai de Bernardo http://t.co/fEOTzZtrRh http://t.co/1PdTpyZ0Ethá 37 minutosRetweet
clicRBS
Nova busca - outros