Versão mobile

Exposição19/02/2014 | 09h51

Eli Heil mostra obras pouco conhecidas em preto e branco a partir de sábado em Florianópolis

Artista de 84 anos celebra 50 anos de carreira e apresenta parte de sua produção artística feita entre 1960 e 1990

Enviar para um amigo
Eli Heil mostra obras pouco conhecidas em preto e branco a partir de sábado em Florianópolis Reprodução/Reprodução
Obra "Mulheres Dançando", feita em grafite sobre papel em 1998 Foto: Reprodução / Reprodução

O palpite de Eli Heil é o de que o público vai estranhar as obras de sua próxima exposição, Eli Heil em Branco e Preto, que abre neste sábado no Museu Victor Meirelles, na Capital.

— A cor é muito presente na minha arte, né? Mas nesta mostra não está — ela diz.

Nessas idas e vindas do vermelho, a cor de seu sangue, a cor que corre em suas veias e sentimentos e brota de suas mãos ao pintar — ou botar para fora o próprio coração, como ela gosta de dizer —, a artista de 84 anos explica que a ausência de cor é também uma parte sua, embora pareça um descompasso em sua carreira que completou 50 anos em 2012.

— O preto e o branco fazem parte de mim e da minha obra. O médico disse: "Dona Eli, a senhora está com anemia". Pronto, perdi a cor. E as obras também — conta ela.

É à mesma simpática e poética história que ela recorre repetidas vezes para exemplificar como seus sentimentos e as transformações de seu corpo estão diretamente ligadas à sua criação.

— Tudo meu é sentimento. Qualquer coisa que acontece, qualquer aborrecimento, eu fico sem cor.

Mas o vermelho sempre volta. Há cerca de um mês, por exemplo, ela pintava um novo trabalho bem colorido, até ter que interromper os planos de restauração de algumas obras de O Mundo Ovo, sua casa-museu-ateliê, em Florianópolis, para fazer uma operação no olho. Agora já está bem, mas ainda não voltou a pintar.

Eli Heil em Branco e Preto reúne desenhos realizados entre 1960 e 1990. As obras foram feitas em papel de diferentes tamanhos e gramaturas, com técnicas que variam entre o grafite, o nanquim e a caneta esferográfica. Mas mesmo no universo PB ela acha espaço para criar novos espaços para cor, ainda que seja trabalhando com uma escala de cinzas ou pincelando aqui e ali tons de azul ou amarelo.

Curiosamente a exposição de Eli Heil no Victor Meirelles mostra uma fase um pouco sem cor e sem vida da instituição. Sem o vigor do ano retrasado — em 2012 o museu localizado no Centro da Capital realizou quase cem atividades culturais, um contraponto às apenas 17 realizadas em 2013 — o espaço está na iminência de uma reforma que o deixará de portas fechadas por um longo período.

No ano passado não foi lançado o tradicional edital para realização de exposições temporárias e para este ano estão agendadas apenas três mostras. A de Eli, que segue até maio, depois a do artista Pedro Américo e por fim a de Regina Silveira.

:: Agende-se

O quê: exposição Eli Heil em Branco e Preto
Quando: abertura sábado, às 11h. Visitação até 8/5,de terça a sexta, das 10h às 18h. Sábado, das 10h às 14h
Onde: Museu Victor Meirelles (Rua Victor Meirelles, 59, Centro, Florianópolis)
Quanto: gratuito

Informações: (48) 3222-0692

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga os perfis de ZH no Twitter

  • zhmoinhos

    zhmoinhos

    ZH MoinhosFrequentadores pedem melhor iluminação para o Parcão: Bruna Vargas – bruna.vargas@zerohora.com.br Nem para cor... http://t.co/hGjzvdbU6Ehá 26 minutosRetweet
  • noataque

    noataque

    Diogo OlivierO que diz a Geral sobre o cadastramento na Arena http://t.co/qgPYsx5Dcvhá 27 minutosRetweet
clicRBS
Nova busca - outros