Versão mobile

Imediato30/01/2014 | 15h33

Prefeitura tem 30 dias para iniciar licitação de transporte em Porto Alegre

Justiça aceitou pedido do MP que alega irregularidade no serviço da Capital

Enviar para um amigo

A prefeitura de Porto Alegre tem 30 dias para iniciar um processo de licitação para concessões ou permissões do serviço de transporte coletivo da Capital. A decisão foi comunicada pelo Tribunal de Justiça da tarde desta quinta-feira (30), mas foi assinada na quarta-feira pelo desembargador Carlos Roberto Canibal, relator do processo.

Na hipótese de descumprimento da decisão, foi fixada uma multa de R$ 5 mil por dia. Canibal determinou que o município publique o edital em no máximo 30 dias e o processo deve ser concluído em, no máximo 120 dias, a partir da publicação.

A ação civil pública contra a prefeitura e a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) foi ajuizada pela Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público em dezembro de 2013, mas no início do mês a 2ª Vara da Fazenda Pública negou o pedido de liminar para a que a licitação fosse feita de forma imediata. Na ação, o MP sustenta a inconstitucionalidade e a ilegalidade das permissões precárias do serviço de transporte coletivo da capital gaúcha.

Conforme a promotora Luciana Maria Ribeiro Alice, que assina a ação, o transporte coletivo de Porto Alegre não atende às exigências de eficiência e conforto, justificando inúmeras reclamações de usuários, insatisfeitos com a qualidade do serviço prestado.


Leia mais:
Fortunati reclama da Brigada Militar no Twitter
Entenda os bastidores da luta interna no sindicato dos rodoviários
Sindicato das empresas de ônibus entra com ação judicial contra greve
Número de carros nas ruas da Capital aumenta 20% devido à greve
Justiça multa Sindicato dos Rodoviários e considera greve ilegal

Acompanhe a cobertura ao vivo:



Reivindicações

A greve foi definida em assembleia da categoria na última quinta-feira. Os rodoviários querem 14% de aumento, reajuste do vale-alimentação de R$ 16 para R$ 20 e manutenção do plano de saúde, sem desconto no salário. Porém, as empresas oferecem 5,56% (reposição integral da inflação no ano, segundo o INPC) e querem coparticipação financeira dos empregados no plano de saúde.



Siga os perfis de ZH no Twitter

  • zh_esportes

    zh_esportes

    zhEsportesRT @zh_inter: Abel Braga brinca e diz que "empresta dinheiro" para Inter comprar Aránguiz http://t.co/w7r5QZ5z5Whá 10 minutosRetweet
  • blogdozini

    blogdozini

    luiz zini piresInter entra no Brasileirão como saiu do Gauchão, com vitória: O futebol é confiança, o que sobra ao Inter camp... http://t.co/kllgKILimWhá 12 minutosRetweet
clicRBS
Nova busca - outros