Versão mobile

Florianópolis20/01/2014 | 12h16Atualizada em 20/01/2014 | 21h09

Impasse sobre o terreno impede melhorias na sinalização da cachoeira da Costa da Lagoa

Moradores querem fechar o acesso ao topo da cachoeira

Enviar para um amigo
Impasse sobre o terreno impede melhorias na sinalização da cachoeira da Costa da Lagoa Guto Kuerten/Agencia RBS
Número de vítimas no local chegou a dez com a morte neste fim de semana Foto: Guto Kuerten / Agencia RBS

Um impasse sobre o terreno onde fica a cachoeira da Costa da Lagoa impede que a Associação de Moradores do bairro amplie a sinalização e a fiscalização para evitar acidentes, como o que causou a morte de uma jovem de 23 anos neste domingo. O topo da cachoeira fica a oito metros de altura e o acesso é possível através de duas trilhas. Quatro placas alertam sobre o perigo, mas não têm sido suficientes para evitar acidentes graves. O número de vítimas no local chegou a dez com a morte neste fim de semana.

Visitar cachoeiras exige cuidados

Homem passou por cirurgia e estado de saúde é estável

Mãe disse que jovem tinha medo de cachoeira


O presidente da Associação, Amadeu Donato da Conceição, afirma que os moradores já tentaram ampliar o número de placas e têm a intenção de contratar pessoas para orientar os turistas, mas não sabem de quem é o terreno onde fica a cachoeira. Havia um rumor de que o local seria do Estado, porém a Associação foi atrás e não conseguiu revelar o mistério.

— Eles dizem que não sabem de quem é o terreno, mas toda vez que tentamos fazer algo os órgãos ambientais vêm em cima. O certo mesmo era cercar lá em cima — diz da Conceição.

Segundo Savas Laureano, cuja família mora há mais de dois séculos na Costa, nem mesmo os nativos costumam subir no local. Ele conta que a trilha foi aberta quando os moradores viviam da criação de gado na Costa. Os animais pastavam até o topo da cachoeira e utilizavam o caminho. A família dele chegou a perder vacas que iam tomar água no córrego e caiam da cachoeira.

Com os perigos e o fim da atividade, a trilha foi se fechando. Segundo ele, o acesso é difícil e não é possível subir pelas pedras. A mata fechada, porém, não impede que algumas pessoas se aventurem. Por esse motivo, a associação de moradores já cogitou a possibilidade de fechar com cercas o local.

— Lá de cima a vista é panorâmica. Dá para ver a Costa e a Praia do Moçambique. Mas para ver é preciso subir nas pedras. Quando está sol, parece que elas estão secas, mas, na verdade, estão com limo. E é assim que as pessoas costumam cair — revela o morador.

A orientação que os moradores e comerciantes passam aos turistas é que evitem subir acima da piscina natural. Laureano afirma que outras quedas ocorrem nessa área, mas são menos graves e, muitas vezes, geram apenas arranhões.

Bombeiros registram resgate de vítima:

Notícias Relacionadas

Alerta 20/01/2014 | 11h09

Visitar cachoeiras exige cuidados extras dos banhistas

É preciso ficar atento à sinalização e tomar cuidado nos mergulhos em piscinas naturais

Fatalidade em Florianópolis 20/01/2014 | 00h16

Ao comentar acidente na Costa da Lagoa, mãe diz que filha tinha medo de cachoeira

Corpo de Bruna Vergínia deve ser velado e enterrado em Santo Amaro da Imperatriz

30/01/2011 | 19h25

Identificada mulher que morreu ao cair da cachoeira na Costa da Lagoa, em Florianópolis

Nájila Dutra Ferraz Alves, 24 anos, estava acompanhada de cinco alemães

30/01/2011 | 17h55

Turista cai de cachoeira e morre, na Costa da Lagoa, em Florianópolis

Polícia e bombeiros estão no local fazendo o resgate

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga os perfis de ZH no Twitter

  • zh_esportes

    zh_esportes

    zhEsportesUruguaio Roberto Silvera apitará jogo da volta entre Grêmio x San Lorenzo- http://t.co/gCNZyE52lJhá 8 minutosRetweet
  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraRT @RdGaucha: Neste momento são 15 táxis bloqueando o cruzamento da Sebastião Leão com a Érico Veríssimo. Brigada e EPTC chegam agora.há 52 minutosRetweet
clicRBS
Nova busca - outros