Versão mobile

05/08/2009 | 16h53

Livro conta história da pioneira do feminismo

Olympe de Gouges é autora da autora da Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã

Enviar para um amigo
Viviane Bevilacqua
Livro conta história da pioneira do feminismo Divulgação/
Livro sobre Olympe de Gouges é narrado em primeira pessoa Foto: Divulgação
Quem gosta de romances históricos e se interessa em saber mais sobre a contribuição feminina para um mundo mais justo e igualitário entre os sexos, tem uma excelente opção de leitura para estes dias de Inverno. Eu vivi por um sonho conta a história romanceada, porém real, de Olympe de Gouges, célebre autora da Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã, que morreu guilhotinada em 1793, durante o sangrento período do Terror, na França, comandado por Robespierre. A obra destaca os últimos e trágicos meses vividos por Olympe

O livro é escrito em primeira pessoa. A própria Olympe de Gouges narra sua trajetória como uma das principais defensoras da liberdade e dos direitos das mulheres, na França do século 18. A maioria dos personagens do livro também são femininos: a jovem jacobina que a trai, a doméstica, a artista, as nobres e as mulheres do povo com quem divide o cárcere, a nora... Um majestoso coro feminino que narra a beleza e, simultaneamente, o horror de um tempo que escancara as portas à modernidade.

A narrativa nos conta aquilo que a história não comenta: a recusa de Olympe de fugir do cárcere, o último amor e o incerto sentimento do filho.

Escrita de uma forma convincente e intensa, a obra é de autoria da italiana Maria Rosa Cutrufelli, que durante meses realizou pesquisas históricas na Itália e na França para resgatar as memórias de Olympe. Por suas ideias arrojadas e insistência em posicionar-se a favor das oprimidas, a protagonista tornou-se uma personagem incômoda. Guilhotinada em 1793, durante a Revolução Francesa, não se deixou intimidar e lutou até a morte para realizar o sonho de uma sociedade livre e igualitária.

Dedicado a essa pioneira do feminismo, uma das mais cativantes e emblemáticas figuras da sua época, Eu vivi por um sonho preenche lacunas e mistérios históricos.

Autora sensível e atenta às temáticas ligadas ao universo feminino, a italiana Maria Rosa Cutrufelli presta homenagem à sua heroína, devolvendo-lhe o verdadeiro lugar na história como a visionária que foi.

A AUTORA

Maria Rosa Cutrufelli nasceu em Messina, Itália.

Licenciada em Literatura, publicou quatro romances e vários ensaios.

Fundou e dirigiu durante 12 anos a revista literária Tuttestorie

Atualmente vive em Roma

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga os perfis de ZH no Twitter

  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraCaso Bernardo: menino foi dopado antes do assassinato, disse amiga de madrasta à polícia: http://t.co/AE9d3GzmJshá 1 horaRetweet
  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraProtesto contra a Copa termina com depredação e 54 presos em São Paulo: http://t.co/UtqYQTnrX8há 1 horaRetweet
clicRBS
Nova busca - outros