Versão mobile

Você aprova o guard-rail de madeira de reflorestamento que está sendo instalado na futura ciclovia da Avenida Ipiranga?

Enviar mensagem
  • Fernando Fert 

    Essa solução poderia ficar interessante se servisse de sustentação para vegetação, como uma cerca-viva, utilizando espécies trepadeiras que produzissem flores como roseiras, jasmins e boungainvilleas, etc..., as quais poderiam ser podadas no lado voltado à ciclovia e crescer livremente para o lado do curso dágua. Demoraria algum tempo para se atingir o resultado final, mas assim se suavizaria o aspecto rústico e monótono das toras de eucalipto, traria cor ao ambiente e permitiria a visualização(questionável)do arroio em certos pontos. A questão ficaria na manutenção dessa vegetação, e no controle de pragas e lixo entre ela, assim como na durabilidade da madeira.

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 12:13
  • marco te 

    Enquanto isso,na republica com a praia de belas tem um buraco do tamanho de roda no asfalto, e ai FORTUNAti .

    porto alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 12:04
  • Luiz Felipe Lied 

    O bom é saber que para a construção desse guard rail foram ouvidos todos que vao utilizar o local:CICLISTAS, não interessa se é bonito, com isso ou aquilo, o que realmente muda é saber e principalmente que seja TESTADO pelos ciclistas pra saber se em vez de proteger não possa estar proporcionado mais chances de quedas, uma vez que com o espaço entre uma tora e outra fica mais facil que uma vez que ocorra um desequilibrio do ciclista ele se engate com o guidon nos palanques e assim caia... MORAL DA HISTÓRIA TEM É QUE FAZER TESTES COM OS CICLISTAS, POIS NÃO É O ARQUITETO COM SEUS PROJETOS QUE VAI REALMENTE SABER COMO SE ANDA DE BICICLETA NEM QUAIS SÃO SUAS PREOCUPAÇÕES... TUDO EM PORTO ALEGRE É FEITO DE CIMA PARA BAIXO: QUEM INVENTA NÃO USA, QUEM FISCALIZA NUNCA UTILIZOU... BOTEM OS CICLISTAS PRA OPINAR E AÍ QUANDO SOUBEREM QUAIS SÃO AS VANTAGENS E DESVANTAGEM É QUE BUSQUEM ADAPTÁ-LAS AO GUARD RAIL...NUNCA O CONTRÁRIO!!!

    Poa - RS - Brasil12/01/2012 | 11:59
  • Eduardo D 

    Idéia difícil de ser implantada, porém todas são. É necessário que exista uma primeira tentativa em tudo para que se possa melhorar depois. O que me preocupa é as travessias nas sinaleiras que terão que ter pintura diferenciada no chão onde continua a ciclovia. Mas com os motoqueiros que não respeitam nenhuma faixa de contenção antes das de pedestres e a EPTC caga para isso, vai ser uma briga. Multarem escondidos velocidades acima do limite sabem mesmo em tempos modernos onde se quer e se é cobrado velocidade em tudo. Sou a favor das ciclovias, mas convenhamos está vai ser muito perigosa, carros no mínimo a 60KM/h num lado, buraco cheio de água contaminada no outro e alta tensão em cima é pouco ou quer mais? Já notaram o barulho da rede elétrica quando o tempo tá úmido ali na Ipiranga? É, as eleições tão cegando, digo chegando.

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:56
  • Edson Moreira 

    Pior do que a questão estética é o fato de que como toda via pública uma ciclovia é um projeto de engenharia que leva em conta diversos fatores dentre os quais a segurança, essa solução "caseira" mostra a falta de projeto e por consequência o descaso com a mobilidade urbana.

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:55
  • Lia Flores 

    Gostaria muito de saber porque nao fecham o riacho ipiranga que serve so pra juntar crakeiro embaixo, sujeira e tudo mais que todos sabem, e não fazem na sua extenção a ciclovia, ficaria suspenso, mais alto que a avenida com isto não teria bebado caindo no riacho e protegeria milhoes de vezes que quer praticar um esporte saudavel que na Europa como a Holanda livremente, sem muros ou sabe mais que ideias ridiculas estão tendo, seria tao mais simples, fecha o ipiranga ciclovia por cima seria a solução.

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:53
  • Marcos Lima 

    Realmente não entendo porque tanta discussão... Resolvem colocar em prática uma questão fundamental para o desafogamento do transito da cidade e preservação do meio ambiente e justamente no ano das eleições municipais. Mas o mais interessante é que ficam procurando formas de fazer uma coisa simples... porque? Porque como tudo no Brasil, só é feito se tiver espaço para forrar o bolso de interessados, ou seja, só jogo de interesses. Infelizmente essa é nossa cultura. Seria tão simples se procurassem entender como organizaram ciclovias em Amsterdã ou Vancouver, locais onde é de habitual o uso de bikes por qualquer um, porque são lugares onde existe organização, empenho dos responsáveos e educação de todos. Mas infelizmente aqui é Brasil...

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:47
  • Cíntia L 

    Estes mesmos guarda rail foram orçados para serem fornecidos a EPTC em material plástico (fibra de vidro), feitos pelo sistema de pultrusão, onde há um alto grau de fios de fibra de vidro para alta resistência mecânica, não condutor de eletricidade e usado em diversos segmentos de industriais, porém o mesmo é de custo inviável de acordo com a engenheira. Mas inviável até que ponto? Pois bem, o custo das peças de plastico realmente é maior, porém temos que pensar a longo prazo na manutenção quando se fizer necessário. A manutenção em fibra de vidro é absolutamente simples. Acredito que a EPTC deve colocar todos os valores para comparação e analisar a longo prazo e não so imediato, sem contar que esteticamente fica muito mais bonito.

    Esteio - RS - Brasil12/01/2012 | 11:46
  • hildo aguiar Aguiar 

    Acho que sou maluco, entendi que as tais proteções servirão para que os ciclistas não caiam no riacho. O que irá proteger os ciclistas dos veículos? Pelamordedeus esses dispositivos devem ser colocados juntos ao meio fio da avenida. Pode até ser ecologicamente correto, mas não irá oferecer proteção alguma, os "caras" conseguem partir até postes de concreto ao meio.

    viamão - RS - Brasil12/01/2012 | 11:46
  • Jorcinei Preussler 

    vai ser legal pra soltar as vacas e organizar um rodeio em plena avenida Ipiranga!!!!! é uma piada!!!!

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:43
  • Fernando Santos 

    Lembro quando ainda estava na faculdade de Arquitetura da Unisinos, ainda na cadeira de Urbanismo em que fiz um projeto de cobrimento do "tiete gaucho" tapando assim definitivamente a vergonha atual, e promovendo o maior parque em comprimento e o menor em largura, ele ficaria no mesmo nível da avenida ipiranga, para que os carros não viessem a cair em cima das pessoas que por ali começaria a utilizar...tinha tudo, ciclovias, banheiros, praças, e ainda um corredor rápido para veículos e coletivos que tem a unica finalidade de cruzar totalmente a avenida, deixando as 3 pistas da avenida ipiranga para quem precisa utilizar as ruas intermediárias...e a previsão para no futuro sustentar um metro aéreo em cima do parque que ali seria criado...sei que são milhões e milhões, mas uma alternativa sustentável e com visão para o futuro...um trabalho muito elogiado na época, e que agora deve estar em alguma gaveta sendo devorado por traças! Obrigado.

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:41
  • Lia Flores 

    Porque aqui tem que ser diferente dos outros lugares do mundo? porque na Europa tem simples faixa de tinta no chão que separa. No Rio de Janeiro aquela selva,somente um muro rente ao chão separa a ciclovia.A ipiranga é onde mais tem acidentes na capital,tem que educar este povo ignorante que prefere estar dentro um carro do que pedalando livremente uma bicicleta.Esta mais do que na hora do povo se educar,parar de encher a cara e cair no riacho,que pelo meu entendimento ja deveria ter sido tapado e e por cima dele sim feito a ciclo via com separação dos carros atraves da calçada lateral.Do jeito que estao querendo fazer nunca me atreveria a percorrer esta ciclovia.

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:41
  • Fabricio Busarello 

    A coisa está feia mesmo!! Nossos políticos, e seus assessores, estão muito desqualificados. Colocar cerca de curral em uma avenida??? Piada!!!!

    Porto Allegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:39
  • Felipe Aguiar 

    Acredito que apenas o material de segurança deveria ser trocado, contenção como se faz nas pistas de rodagem normal, apenas um pouco mais alta. A madeira acho que não é a melhor solução, alem de estragar mais rápido. E para aqueles que tem medo de andar na ciclovia, ja deveriam pensar que mesmo sem ter a faixa da Ipiranga é usada a muito tempo, devemos respeita-la, entretanto não como certos cilistas arrogantes e mal educados, que acham que por estar em uma bicicleta são melhores que outros. Devemos é rever tais movimentos "ecológicos"!!!

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:39
  • Andréia Nunes 

    Sinceramente, achei muito ruim. Sobretudo se considerarmos que esse material certamente acabará se deteriorando em função do clima, acidentes, entre outros, e, como sabemos, a conservação dos bens públicos em nossa cidade não é das melhores. Ou seja, se hoje já é uma opção esteticamente ruim, imaginem daqui alguns anos.

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:36
  • Maria Regina Felipe 

    Nossa!! em pleno início de terceiro milênio, será que não temos outro material alternativo, com maior durabilidade, esteticamente e sustentavelmente correto?

    PORTO ALEGRE - RS - Brasil12/01/2012 | 11:34
  • José AGUSTONI 

    Concordo totalmente com o que o leitor Helton Moraes escreveu mais abaixo. O problema é o perigo que este formato de "proteção" oferece ao ciclista no caso de um simples esbarrão na cerca. Eu imaginava algo como um corrimão metálico contínuo projetado para o lado da ciclovia, com suportes metálicos em foma de "F". Nas extremidades horizontais desse "F" teríamos fixadas barras tubulares de metal liso que, em caso de queda do ciclista, não ofereceriam nenhum tipo impacto, permitindo que ele deslise sem se machucar.

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:34
  • Rafael Vasconcelos 

    Concordo plenamente em ter uma ciclovia, porém acho desnecessário ter um "muro" separando-a do Dilúvio.

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:34
  • CHARLES SPIES 

    O detalhe pertinente é que deveriam ser ouvidos ENGENHEIROS e não arquitetos, ENGENHEIROS É QUE SÃO RESPONSÁVEIS POR PROJETAR AS VIAS PUBLICAS SUAS SINALIZAÇÕES E PROTEÇÕES HORIZONTAIS E VERTICAIS. ARQUITETOS SÃO RESPONSÁVEIS PELO URBANISMO DA CIDADE.

    PORTO ALEGRE - RS - Brasil12/01/2012 | 11:31
  • valerio laureano 

    A idéia, que agora virou protótipo, é lamentável.

    Porto Alegre - RS - Brasil12/01/2012 | 11:29
Total de 7 páginas

Siga os perfis de ZH no Twitter

  • zh_esportes

    zh_esportes

    zhEsportesVisitantes dominam e Thunder salva estreia dos mandantes no primeiro dia dos playoffs da NBA --> http://t.co/uxWO0gr9wLhá 1 horaRetweet
  • zh_esportes

    zh_esportes

    zhEsportesCaso sem fim: Justiça cassa liminar e Portuguesa volta para a série B http://t.co/Ab5xjnvSaFhá 4 horas Retweet
clicRBS
Nova busca - outros