Enem 201231/07/2012 | 18h11

Guia ajuda a entender a redação do Enem

Manual diferencia desvios graves e leves em relação às normas gramaticais

Enviar para um amigo

O guia lançado nesta semana abrange uma das maiores críticas dos professores em relação à redação do Enem: a correção. Questionada por ser menos analítica que a avaliação de vestibulares como o da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), a prova de redação do Enem agora esmiúça como deve ser o texto dos candidatos.

— Antes tínhamos poucos detalhes do que era avaliado, parece que eles estão tentando melhorar — comenta a professora Marta Canella, do Grupo Unificado.

Para Marta, uma das principais diferenças do texto feito no Enem era exatamente a correção, mais conceitual e subjetiva que as dos demais vestibulares. Professora de Redação do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Militar de Porto Alegre, Jésura Chaves explica que o Enem avalia a partir de competências e por níveis — do excelente ao regular —, em vez de impor valores distintos para cada erro.

Além disso, Jésura lembra que o texto do exame nacional pede que o redator defenda um ponto de vista de acordo com uma postura cidadã, ou seja, dentro de critérios considerados politicamente corretos. O final do texto ainda deve conter uma proposta de intervenção social, algo que não costuma ser pedido nos vestibulares tradicionais.

— O Enem avalia as mesmas coisas, só que de forma diferente — resume Jésura.

O lançamento do guia, acreditam as professoras, deve reduzir a angústia dos alunos em relação às exigências da redação do Enem. Como há uma parte teórica, em que se esclarece como o texto será avaliado, e outra prática, onde é possível ler textos com nota máxima, o manual trouxe um pouco mais de clareza para a avaliação.

 

A opinião dos professores:

"O guia está bem redigido, tem uma proposta clara e é didático. Aprovei. Na primeira parte, ele traz conceitos teóricos que esclarecem o que se espera da redação. Já na segunda, mais prática, os conceitos são elucidados a partir das redações de 2011. Assim, o material auxilia tanto os alunos que prestarão o Enem quanto a nós, professores da área. Para alguns alunos do Ensino Médio, talvez seja necessário o auxílio de um professor na hora da leitura para destacar os aspectos mais relevantes e decifrar alguns termos técnicos com os quais os estudantes podem não estar familiarizados. É importante que se tenha transparência na avaliação das redações para que o aluno saiba o que se espera de suas produções textuais."

Jésura Lopes Chaves, professora de Redação do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Militar de Porto Alegre

"O material é excelente e mostra boa vontade por parte da organização do Enem. Pode e deve ser utilizado em sala de aula. No entanto, as regras da Ufrgs ainda são bem melhores, pois os erros são quantificados. Ou seja, o aluno sabe quantas vírgulas ou crases pode errar. O guia avança no sentido de detalhar a avaliação, mas ainda é subjetivo em alguns pontos. Poderia haver mais critérios quantitativos na avaliação. De qualquer forma, o manual apresenta um rumo para a correção das redações, o que é bom."

Luísa Canella, professora de Redação do Grupo Unificado

Siga perfis de ZH no Twitter

  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraProjeto Sol Maior leva aulas de música para crianças carentes. http://t.co/hQ4u2AM9WMhá 1 horaRetweet
  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraMulher sobrevive à queda de uma altura de 35 metros da Ponte Rio-Niterói. http://t.co/lVOINObDDehá 1 horaRetweet

Veja também

clicRBS
Nova busca - outros