Eu, eu mesmo e minha lente14/12/2013 | 05h02

Do selfie ao unselfie: a prática do autorretrato nas redes sociais

Verbete entrou para o Dicionário Oxford e foi eleito, em novembro, a palavra do ano

Enviar para um amigo
Do selfie ao unselfie: a prática do autorretrato nas redes sociais Roberto Scmidt/AFP
Presidente Barack Obama em selfie que virou notícia mundial nesta semana Foto: Roberto Scmidt / AFP

Ninguém escapa da onda selfie – estrangeirismo recente para o bom e velho autorretrato. Nem mesmo o presidente da nação mais poderosa da atualidade. Nesta semana, ganhou o mundo a imagem que mostrava o presidente Barack Obama e os primeiros-ministros David Cameron, do Reino Unido, e Helle Thorning-Schmidt, da Dinamarca, tirando uma selfie no funeral do líder sul-africano Nelson Mandela.

A prática, que começou no século 19 – tão logo a fotografia foi inventada –, ganhou tanto destaque em 2013 que entrou para o Dicionário Oxford e foi escolhida, em novembro, a palavra do ano. E, agora, o fenômeno começa a ser analisado sob um viés acadêmico.

No país de Helle Thorning-Schmidt, o pesquisador Bent Fausing, professor da Universidade de Copenhague, dedica-se ao tema. Recentemente, publicou um artigo no qual conceitua a selfie dentro de seu projeto de pesquisa com foco na “sociedade da tela”.

– Na nossa era digital, esses rápidos autorretratos são numerosos e florescentes, e não são só o espelho ou o braço erguido que caracterizam as selfies como um gênero, mas também como uma estética particular. O selfie é sobre reflexão, identidade e reconhecimento – seres humanos querem controlar a forma como eles são vistos – escreve ele.

A prática é adotada por famosos e anônimos. A designer de moda Carolina Vaz ganhou a primeira câmera aos 11 anos. Com o presente dado pelo pai, fotógrafo amador, passou a registrar e analisar sua própria imagem ainda na infância. Suas selfies são a tônica no álbum de fotos do Facebook: a mudança na cor do cabelo, o esmalte novo nas unhas, as brincadeiras diante das lentes e as imagens com pinta de modelo, ao estilo garota pin-up. Com a experiência de quase 10 anos fazendo autorretratos, ela rebate as críticas que relacionam esse tipo de foto à vaidade e ao narcisismo, e diz que esta é uma prática muito comum em toda a sociedade:

– Todo mundo tira selfie, mas nem todo mundo publica. Pode ser por ter um pouco de vergonha, ou por não confiar tanto na sua imagem para publicar. A pessoa não precisa nem ser bonita, mas, se ela for confiante e passar isso numa foto, é o que importa.

Moda já gerou outra prática, o “unselfie”

A moda do selfie gerou uma segunda onda de autorretratos, a do “unselfie”. A ideia é, em vez de a pessoa postar uma imagem de si própria, escrever em papel uma boa ação que tenha feito, e tirar uma foto com a folha cobrindo o rosto – o que não deixa de mostrar uma dose de vaidade.

Mas é possível, sim, olhar o próximo e a si mesmo. O pesquisador Luiz Moreno Guimarães, do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, explica que, na psicanálise, pode-se ser narcisista e altruísta ao mesmo tempo. O que se opõe ao narcisismo não é o altruísmo, mas sim o estranhamento.

E para quem acha que narcisista é aquele vaidoso que vive se autopromovendo nas redes sociais, Guimarães ressalta um aspecto que pode ser novidade para muitos: os sentimentos que estariam mais próximos do narcisismo são a vergonha de si mesmo e, principalmente, a inveja.

Para ele, o fenômeno das selfies não é algo que acometa aqueles mais ávidos pela fama ou por se tornarem celebridades, mas, sim, uma prática diretamente relacionada à facilidade de se tirar esse tipo de retrato, proporcionada pela era dos smartphones, e pela agilidade de se divulgar as imagens pelas redes sociais. Essa onda estaria, então, mais ligada ao instrumento do que ao próprio sujeito.

– Isso não é algo propriamente patológico de cada pessoa. É próprio do dispositivo criado. O próprio mecanismo induz a um certo exibicionismo. O selfie explodiu com as redes sociais. É como se a sociedade de certa forma já estivesse esperando por isso. Foi um encaixe perfeito, como são os encaixes narcísicos.

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga perfis de ZH no Twitter

  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraRichard Gere é confundido com mendigo durante gravação em Nova York: http://t.co/Z2ENcTN5o6 (Foto: Divulgação) http://t.co/Fhv63JJ0zIhá 1 horaRetweet
  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraCadastramento de moradores da região do Beira-Rio será definido pela prefeitura na próxima semana: http://t.co/AbRZdqY1tphá 3 horas Retweet
clicRBS
Nova busca - outros