Combate a mosquitos08/05/2012 | 13h10

Secretaria da Saúde monta operação para evitar contágio da dengue na zona sul da Capital

Agentes criaram nuvem de inseticida na área em torno da residência de um paciente com sintomas da doença no bairro Assunção

Enviar para um amigo
Secretaria da Saúde monta operação para evitar contágio da dengue na zona sul da Capital Ronaldo Bernardi/Agência RBS
Objetivo dos agentes era matar mosquitos adultos capazes de transmitir o vírus da dengue Foto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS

Na manhã desta terça-feira, uma equipe da secretaria de Saúde da Capital (SMS) foi enviada à Zona Sul em uma operação emergencial de combate à dengue. A missão do grupo era criar uma nuvem de inseticida de oito metros de altura em uma área com raio de 150 metros em torno da residência de um paciente com a doença.

Segundo o chefe da equipe de Vigilância de Roedores e Vetores da SMS, Luiz Filippe Kunz Júnior, um morador do bairro Assunção desenvolveu os sintomas após retornar de uma viagem à Bahia. A aplicação de inseticida, feita em imóveis das imediações, é inofensiva para os seres humanos e tem o objetivo de impedir que mosquitos da espécie Aedes aegypti, transmissores da doença, espalhem o vírus pela vizinhança.

A ação, chamada "bloqueio de transmissão", é isolada e se destina apenas a impedir o contágio a partir deste paciente específico. Kunz Júnior explica que não se trata de controle da reprodução do mosquito, mas sim do extermínio de espécimes adultos capazes de propagar o vírus.

Em galeria de fotos, veja imagens da operação na Zona Sul

Além de medidas emergenciais como a desta terça, o chefe de equipe frisa que a SMS desenvolve um trabalho permanente de visita a residências para eliminar focos de reprodução do Aedes aegypti, em ações que atingiram quase 90 mil domicílios nos primeiros quatro meses do ano.

— É um trabalho que depende da população. Se a população não ajudar, não tem agente que consiga combater o mosquito — afirma. 

De acordo com Kunz Júnior, o Aedes aegypti, observado pela primeira vez em Porto Alegre há 11 anos, é atualmente a espécie de mosquito mais numerosa na cidade, e focos de larvas foram encontrados em 4,7% das residências visitadas por agentes da SMS nos últimos meses.

— Nós ainda não tivemos o contágio de dengue em Porto Alegre por detalhe — alerta.

O que fazer quando houver alguém com sintomas de dengue na vizinhança

Casos de dengue devem ser informados à Secretaria Municipal de Saúde. Geralmente, afirma Kunz Júnior, os médicos fazem a notificação assim que constatam os sintomas, mas qualquer pessoa pode alertar as autoridades. O número de telefone da prefeitura para atendimento ao cidadão é 156.

Além disso, é preciso combater os focos de reprodução dos mosquitos transmissores. Evite o acúmulo de água parada em potes, vasos, pneus, calhas e reservatórios sem tampa, locais onde as larvas se desenvolvem com facilidade. 

Envie sua sugestão de notícia para o e-mail pelasruas@zerohora.com.br

Leia todas as notícias publicadas no Pelas Ruas!

Comentar esta matéria Comentários (2)

Fábio

Se o inseticida é inofensivo aos seres humanos, porque os agentes estão vestidos com roupas de proteção q mais parecem uniforme de astronauta?

08/05/2012 | 15h18 Denunciar

valter

Bisonha a foto, para que essa roupa, parece ate filme americano, tem e que pegar o dinheiro que a prefeitura recebe e fazer o mais simples aplicar os recursos no combate ao mosquito e também orientar as pessoas, aqui no Rio não tem nada disso. nem carro fumace existe mais só sucata, roubaram tudo

08/05/2012 | 13h51 Denunciar

Siga perfis de ZH no Twitter

  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraCientistas querem aplicar segredos da genética antártica em lavouras brasileiras: http://t.co/YyJwaAHx7K http://t.co/Lpf4X25T8xhá 2 horas Retweet
  • zerohora

    zerohora

    Zero HoraPai de Bernardo, madrasta e assistente social estão na mesma cadeia, isolados e evitam contatos com outros presos: http://t.co/YgFPD5xcvehá 3 horas Retweet
clicRBS
Nova busca - outros