Drible na Justiça23/07/2012 | 05h31

Portas abertas a vândalos: Grêmio e Inter também descumprem a lei

Dirigentes dos clubes repassam a culpa para o poder público

Enviar para um amigo
Portas abertas a vândalos: Grêmio e Inter também descumprem a lei Montagem sobre fotos de Diego Vara /
O Olímpico e o Beira-Rio contam com salas de videomonitoramento Foto: Montagem sobre fotos de Diego Vara
O Grêmio e o Inter não dão bola para a Justiça. Quando um juiz envia ofício pedindo que fiscalizem a entrada de torcedores proibidos de ingressar em seus estádios, a reação beira o desdém. Para piorar, não cumprem o Estatuto do Torcedor — que manda afixarem a lista de infratores nos portões de acesso. O discurso é que o problema é da polícia e da Justiça.

Em página especial, leia todas as reportagens da série Drible na Justiça

Desinformados e despreocupados com os torcedores proibidos de frequentar seus estádios, os dois maiores clubes do Estado revelam-se bons anfitriões para a violência.

Não faltam câmeras para barrar penetras — algumas, capazes de identificar uma ruga a 700 metros de distância — nem seguranças nas catracas de acesso ao público. As falhas são de gestão, bem mais profundas do que a desatenção de um vigia.

Na edição dominical, no primeiro dia da série de reportagens Drible na Justiça, Zero Hora revelou como torcedores envolvidos em pancadarias ignoram as ordens da Justiça. Eles estão impedidos de entrar nos estádios — e deveriam se apresentar em uma delegacia no horário das partidas. Nenhum deles cumpre a medida. Dois foram flagrados por ZH dentro do Olímpico e do Beira-Rio, livres de qualquer fiscalização.

O presidente do Grêmio, Paulo Odone, e o do Inter, Giovanni Luigi, repassam a culpa para o poder público. Mas também descumprem a lei. No artigo quinto do Estatuto do Torcedor, o texto manda os clubes afixarem em todas as entradas do estádio a relação dos torcedores proibidos de ingressar. O setor de segurança do Inter nem sequer conhece essa lista, embora o departamento jurídico do clube tenha recebido ofício do juiz Amadeo Ramella Buttelli pedindo a fiscalização dos infratores.

— Temos dois vigiados atualmente: o Hierro (antigo líder da torcida Guarda Popular) e outro torcedor envolvido na mesma confusão (em dezembro). Mais ninguém — disse o vice-presidente Alexandre Mussoi na semana passada, desinformado sobre a proibição de Antonio Flávio Valadão de Almeida e Gabriel Maidana Bassani, este último fotografado pela reportagem nas arquibancadas do Beira-Rio.

A delegada Sílvia Coccaro, titular da 20ª Delegacia de Polícia da Capital — onde Gabriel e Antonio deveriam comparecer na hora dos jogos, mas jamais se apresentaram —, acirra o jogo de empurra:

— Não podem vender ingresso para eles. Essa lista de nomes precisa ser do conhecimento de quem controla a entrada (o Inter só pede documento de identidade para quem compra ingressos em jogos de grande porte).

No Grêmio, a ação limita-se a expulsar o infrator do quadro de sócios. O que, na prática, não adianta. Proibido pela Justiça de entrar no Olímpico, Jeferson Rodrigo Kuchinski era sócio do clube, mas foi flagrado por ZH torcendo em meio à Geral, principal torcida organizada do Grêmio. No estádio gremista, qualquer um compra ingresso sem apresentar documento.

Segundo o assessor especial da presidência do clube, Luiz Moreira, as mais de cem câmeras que vigiam o Olímpico e seu entorno não têm como função procurar torcedores impedidos de entrar nos jogos.

— Isso é coisa para ser resolvida na delegacia. Não há como achar na multidão — afirma Moreira.

Já o vice-presidente Alexandre Mussoi, do Inter, reconhece que suas câmeras podem auxiliar na fiscalização dos infratores. O problema é que o olho eletrônico colorado, que nem sabe quais torcedores estão impedidos de ingressar no Beira-Rio, é tão cego quanto o gremista.

Comentar esta matéria Comentários (24)

Carlos

Bem colocado pelo Antonio e na maioria dos posts: cumpre ao Estado, mais especificamente ao Ministério da Justiça em suas diversas esferas - inclusive policial - assegurar que estes delinquentes estejam em uma delegacia durante o horário das partida. No mundo inteiro é assim, exceto em POA?!

24/07/2012 | 00h23 Denunciar

Vitor Hugo

Que matéria tendenciosa!Se o torcedor deve apresentar-se na delegacia na hora do jogo,quem tem que fiscalizar é a polícia,e não o clube!Quem está descumprindo a ordem judicial é o indiciado,o torcedor,e não o clube.Um absurdo transferir responsabilidade que é da autoridade judiciária e policial!

23/07/2012 | 22h31 Denunciar

Silvia

Tudo bem que o futebol é paixão nacional, mas não está acima das leis. Todos devem respeitar determinações da Justiça, inclusive os clubes e deveriam respeitar muito o poder público e também a polícia. Sempre recorrem ao poder público para conseguir terrenos doados e isenção de impostos.

23/07/2012 | 18h48 Denunciar

Givan

Identificação através de Íris e digital somente com o ARENA GREMIO pronto, antes disso Impossível controlar a entrada de colorados no olímpico.

23/07/2012 | 16h59 Denunciar

eraldo leitão

Mas o quê que é isso nobres jornalistas? Culpar os clubes por isso? Deviam ter vergonha de afirmar isso. Será que a Polícia Civil não consegue saber se o cara se apresentou na hora do jogo?

23/07/2012 | 16h18 Denunciar

Carlos Alves

É engraçado, porque todo mundo opina sobre de quem deve ser a responsabilidade, quando na verdade a responsabilidade É TE DE TODOS. Na hora em que alguma fatalidade acontecer, pensem em qualquer um poderia ter ajudado a evitar. Ou seja: se cada um fizer a sua parte, a convivência será muito melhor!

23/07/2012 | 14h02 Denunciar

Felipe

NÃO é de responsabilidade dos Clubes dar cumprimento às decisões judiciais! Mas, por lei, devem manter em local de fácil visualização a lista com os marginais impedidos de entrar no Estádio, e isso não foi observado. De resto a responsabilidade é do Judiciário/Polícia. ZH está forçando a barra!

23/07/2012 | 12h42 Denunciar

Jeferson GG

Tudo indica que está existindo uma Prevaricação da polícia ao não realizar este controle. Mesmo que o MP não tenha sido claro na forma escrita o bom senso diz que se não compareceu conforme ordenado cumpre-se mandar informação ao MP para as devidas providências. Depois impunidade gera novos Hierros.

23/07/2012 | 12h41 Denunciar

carlos

QUem tem a responsabilidade de executar a determinação legal é a polícia do próprio judiciário, não a empresa particular.. É humanamente impossível checar nome, foto e validade da identidade num evento de 20, 30 , 40 mil pessoas. É só chamar os "santinhos" para assistir na delegacia, simples...

23/07/2012 | 12h37 Denunciar

marina consuelo

A lei deve ser cumprida. Sugestão: Nos dias de jogos, os torcedores que estão proibidos de frequentar os estádios, devem se apresentar uma hora antes na delegacia mais próxima da sua residência ou e outro local pré determinado pela justiça e ficarem lá até o término da partida.

23/07/2012 | 12h31 Denunciar

Alexandre

Alinho-me aos demais comentários no sentido de que não é responsabilidade dos clubes fazer cumprir as determinações judiciais(JECRIM). Cabe ao Poder Judiciário e ao Executivo impor ao cidadão o rigor da lei. A reportagem peca por tentar ampliar o leque de culpados e tentar dividir a conta (Estado).

23/07/2012 | 11h59 Denunciar

rodrigo turconi severo

Discordo da matéria que aponta clubes como responsáveis. Penso ser de responsabilidade total da policia e da justiça em manter estes afastados do futebol. Parece ser tão simples e não conseguem fazer. Porque que aqui do lado, em SC, funciona e aqui não?

23/07/2012 | 11h06 Denunciar

Antonio

Mas é lógico que é a Justiça e a Policia que tem a obrigação e são pagos para isso. E é simples, basta que em dia de jogos estas "pessoas" tenham a obrigação determinada pela justiça e vigiada pela polícia de se apresentar a uma delegacia. Pronto. Mas era só o que faltava.

23/07/2012 | 10h57 Denunciar

JOSE CARLOS

No mínimo a Policia vai dizer que por causa dos baixos salários e pequeno número de funcionários, não tem condições de fisacalizar... Como se fosse muito difícil controlar se o cara se apresentou na delegacia. Só no Brasil mesmo...

23/07/2012 | 10h47 Denunciar

gonçalves

Porteiro de estádio não é policia, e clube de futebol não é delegacia.Se o torcedor arruaceiro deveria estar na delegacia no momento do jogo, obviamente que não é destes a responsabilidade.Tá faltando objetividade sobre o assunto e atitude de quem deve fazer valer o cumprimento da justiça.

23/07/2012 | 10h47 Denunciar

Rafael de David Nunes

Os clubes não tem culpa se estes marginais vão aos estádios. Como sempre, a JUSTIÇA TENTANDO JUSTIFICAR SUA INCOMPETÊNCIA repassando sua responsabilidade aos clubes. Por que não mandam prender estes marginais?? A justiça não faz isso porque se preocupa com a integridade dos marginais!!

23/07/2012 | 10h34 Denunciar

Levy

Concordo plenamente com os clubes. Esse problema deve ser resolvido entre a policia e a justiça. No Brasil é assim, por incopetencia dos orgão que deveriam garantir nossos direitos e demais necessidades, transferem suas obrigações para o setor privado, que por sua vez, ficam de mãos amarradas....

23/07/2012 | 10h21 Denunciar

Fábio

A reportagem é tendenciosa ao nítidamente apontar os clubes como culpados. Não existe como impedir a entrada de 4 ou 5 em meio a 20 ou 30 mil. A justiça os condenou a se apresentarem na delegacia e eles não se apresentam e não sofrem punição alguma, mas os clubes é q são omissos?

23/07/2012 | 10h21 Denunciar

jose luiz

Se a determinação judicial é para apresentarem-se em uma delegacia no horário do jogo, quem tem que fazer esse controle é o poder público não os porteiros dos estádios. É só emitir mandato de prisão para os faltosos que tem registrados endereços, profissão etc...

23/07/2012 | 10h15 Denunciar

ronaldo

A culpa não é dos clubes. Afinal, eles deveriam estar cumprindo a pena na delegacia nos horários dos jogos. Se for assim, os clubes teriam que solicitar aos torcedores atestado de bons antecedentes. Se o indivíduo não compareceu à delegacia, deveria ser cumprida a lei.

23/07/2012 | 10h11 Denunciar

PRA

Fiscalizar segurança nos estádios não é dever dos clubes. Mas parece que está na moda as instituições públicas repassarem suas funções mais incômodas aos outros. Inventaram essa tal de responsabilidade social. Assim o Estado se livra do que não gosta e tem mais tempo para transgredir.

23/07/2012 | 10h07 Denunciar

Alexandre

Natural de Porto Alegre, sempre seguindo ZH... Amigos, quanto tempo vocês levam para registrar o seu ponto ao chegar no trabalho? 2 segundos? Deveria ter um cadastro de torcedores, neste na entrada ao estádio, não na bilheteria. Fácil de identifica-los. Tecnologia biometrica existe, falta iniciativ

23/07/2012 | 09h52 Denunciar

Helio

Ridículo culpar o clube. Se eles deveriam comparecer a delegacia e não foram. eles estão deveriam ser presos por descumprir essa obrigação. e a justiça nada faz.

23/07/2012 | 09h52 Denunciar

André da Rosa Teixeira

Não é Grêmio e nem o Inter que tem que controlar isso, na verdade se o cara não pode entrar nos estadios ele deve comparecer a uma delegacia e ficar por lá todo o tempo enquanto o jogo rolar.

23/07/2012 | 09h38 Denunciar

Siga zhEsportes no Twitter

  • zh_esportes

    zh_esportes

    zhEsportesVisitantes dominam e Thunder salva estreia dos mandantes no primeiro dia dos playoffs da NBA --> http://t.co/uxWO0gr9wLhá 8 horas Retweet
  • zh_esportes

    zh_esportes

    zhEsportesCaso sem fim: Justiça cassa liminar e Portuguesa volta para a série B http://t.co/Ab5xjnvSaFhá 11 horas Retweet
clicRBS
Nova busca - outros