Problemas26/04/2012 | 17h55Atualizada em 26/04/2012 | 18h18

Médico do Inter confirma: Kleber e Dagoberto estão fora do Gre-Nal 392

Lateral também não jogará partida de volta contra o Fluminense, no Rio, dia 10 de maio

Enviar para um amigo
Médico do Inter confirma: Kleber e Dagoberto estão fora do Gre-Nal 392 Ricardo Duarte/
Dagoberto sentiu problema muscular ainda no primeiro tempo do jogo contra o Fluminense Foto: Ricardo Duarte

Não é preciso ressaltar que o Inter tem diversos problemas para o Gre-Nal decisivo das 16h de domingo, no Beira-Rio, que apontará o vencedor da Taça Farroupilha. Não bastasse a ausência de Oscar, impedido de jogar devido a imbróglio judicial com o São Paulo, a equipe colorada não contará com o lateral-esquerdo Kleber. Dagoberto também não deve ter condições. D'Alessandro segue fora. Nei está suspenso. No fim das contas, metade do time titular não poderá entrar em campo.

Questionado sobre a lesão de Kleber no jogo dessa quarta contra o Fluminense, o médico do Inter Guilherme Caputo disse que o jogador entrou na partida sem contusão alguma.

— A gente fez exame de imagem e ele não tinha lesão antes do jogo. Só tinha dor na região inguinal, onde só tinha feito cirurgia em 2008, em outro clube. Dá para dizer que ele entrou no jogo sem lesão. Pelo exame, não tinha nenhuma lesão — argumentou.

Ao explicar o porquê de tantas lesões em sequência no Beira-Rio, Caputo disse que as contusões musculares ocorrem principalmente devido ao número de jogos previstos no calendário, após uma pré-temporada curta. Além disso, atribui os problemas à série de partidas decisivas que o Inter encara desde o início do ano.

— Foram apenas 17 dias (de preparação) até o primeiro jogo, que já era uma final de campeonato — lembrou, referindo-se à pré-Libertadores, contra o Once Caldas. — O resto do ano dependia daqueles jogos. Daí em diante foram diversos jogos importantes e decisivos. Todos esses fatores contribuem para o número de lesões, que está aceitável. Vemos diversos times no Brasil e no Exterior com número grande de jogadores no departamento médico — complementou.

Guilherme Caputo ainda falou que os treinadores se queixam do calendário brasileiro em comparação ao europeu. Segundo ele, na Europa o atleta atua, em média, em 34 a 36 jogos. No caso do Inter, apenas nesta temporada já ocorreram quase 30 jogos. Nas palavras do médico, foram entre 26 e 27 partidas.

— Em um terço do ano, são quase 30 jogos. A maratona é impressionante — concluiu.



 

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Veja também

clicRBS
Nova busca - outros