Impacto negativo21/02/2014 | 13h13

Gastos de turistas no exterior têm queda de 7,8% após aumento do IOF

Em janeiro, brasileiros gastaram US$ 2,1 bilhões em viagens internacionais, segundo BC

Enviar para um amigo

A elevação do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incidente nos saques e pagamentos diretos feitos no exterior reduziu o gasto de turistas brasileiros. Segundo números divulgados nesta sexta-feira pelo Banco Central, as despesas em viagens internacionais somaram US$ 2,120 bilhões no mês passado. O valor é 7,8% menor que os US$ 2,299 bilhões desembolsados pelos turistas brasileiros em dezembro.

A queda ocorre depois que o governo adotou medidas para conter os gastos de brasileiros em outros países. O IOF sobre os pagamentos em moedas estrangeira com cartão de débito, carregamento de cartões pré-pagos, compras de cheques de viagem e saques em moeda estrangeira no exterior passou de 0,38% para 6,38%. Essas transações passaram a ter o mesmo tratamento das compras com cartões de crédito internacionais, que pagam alíquota de 6,38% desde 2011.

A retração dos gastos de brasileiros no exterior em janeiro ocorre depois de essas despesas terem registrado recorde histórico em 2013, mesmo com a disparada do dólar. No ano passado, os desembolsos de turistas brasileiros em outros países somaram US$ 25,342 bilhões, alta de 14% na comparação com os US$ 22,23 bilhões gastos em 2012.

Descontando os gastos de turistas estrangeiros no Brasil, que somaram US$ 643 milhões no mês passado, a conta de viagens internacionais fechou janeiro com déficit de US$ 1,478 bilhão. O resultado agrava o rombo nas contas externas, que atingiu US$ 11,591 bilhões no mês passado e registrou o pior resultado mensal da história.

A conta de viagens internacionais entra no balanço de serviços, um dos componentes das contas externas, com a balança comercial (diferença entre exportações e importações de bens) e a conta de rendas (que engloba remessas de lucros e pagamentos de juros ao exterior). Também fazem parte das contas externas as transferências unilaterais (que inclui remessas de emigrantes para o Brasil e doações internacionais).

No ano passado, a conta de viagens internacionais teve déficit de US$ 18,632 bilhões, o pior resultado da história. Apesar da Copa do Mundo, que atrairá turistas estrangeiros ao Brasil, o Banco Central projeta déficit de US$ 19 bilhões em 2014 para essa rubrica.

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga perfis de Economia no Twitter

  • farina_erik

    farina_erik

    Erik FarinaEspecialista diz que "bolha imobiliária" vai estourar depois da Copa. http://t.co/doxeokf18Whá 11 horas Retweet
  • farina_erik

    farina_erik

    Erik FarinaRT @Leogerchmann: Opositor argentino Sergio Massa, possível candidato presidencial, manteve na Fiesp reunião com empresários brasileiros de…há 1 diaRetweet
clicRBS
Nova busca - outros