O Rio Grande que dá certo14/12/2013 | 11h03

Importadora de Porto Alegre aposta em produtos com o gosto do Natal para crescer

Além de frutos secos, como amêndoas, castanhas, passas e damasco, Uniagro apostou na importação de azeites, conservas e vinagres

Enviar para um amigo
Importadora de Porto Alegre aposta em produtos com o gosto do Natal para crescer Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Isabel e Zildo de Marchi estão à frente do negócio Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

É difícil não associar as ceias em família de Natal e de Ano-Novo aos produtos que fizeram o sucesso da Uniagro. A importadora de alimentos, com sede na zona norte de Porto Alegre, tem nas frutas secas o carro-chefe de uma história cuja data de início é imprecisa.

Leia mais histórias de empresas gaúchas na série O Rio Grande que dá certo

O trabalho do empresário Zildo de Marchi, 88 anos, impulsionou o negócio, iniciado no formato atual em 1992, mas calcado em uma experiência de seis décadas. O nome Uniagro surgiu em 1976 para batizar a holding criada com objetivo de administrar o grupo de empresas do qual o empresário era sócio. Entre as companhias estava a Lacesa, conhecida indústria de laticínios do Estado, vendida para a Parmalat também em 1992.

Sem interesse na aposentadoria, De Marchi aproveitou o rastro aberto por uma das empresas que administrava, a também importadora Colasa, comprou a participação dos outros sócios e adotou o nome Uniagro para os produtos. Além de frutos secos, como amêndoas, castanhas, passas e damasco, apostou na importação de azeites, conservas e vinagres. E teve retorno rápido: três anos depois, o negócio já era lucrativo.

— Era uma fase difícil, mas foi um momento de oportunidade. Conhecia o mercado lá fora. É preciso ter visão de longo prazo — comenta, em referência ao início dos anos 1990.

Mesmo com os bons resultados, a empresa não se acomodou. Demandada pelo mercado, em 1995 a Uniagro ampliou as formas de apresentação dos produtos: além da venda a granel começou a embalar e vender as frutas secas em porções menores. O investimento na marca nos anos seguintes também a tornou mais reconhecida do público. Hoje, conta 170 produtos.

— No momento em que você leva a marca para o consumidor, começa a ter um valor maior no mercado.

 

A marca virou sinônimo de uma categoria de produto — avalia Isabel de Marchi, filha de Zildo e atual diretora superintendente da Uniagro.

O reconhecimento foi o estopim para o lançamento de novos produtos, que resultaram no crescimento de 80% da empresa em 1998. O olhar atento ao consumidor foi essencial para garantir resultados positivos. Um exemplo foi descobrir cedo a ascensão econômica de uma parcela da população, o que fez a empresa lançar uma linha de custo mais acessível ainda no início dos anos 2000.

Nos últimos dois anos, a Uniagro tem investido em conservas, com produtos como azeitona, alcachofra e aspargo. Nas novidades ou nas apostas mais tradicionais, o foco na qualidade segue como norte da empresa, que importa anualmente cerca de 4,5 mil toneladas de alimentos de países como Argentina, Chile, Espanha e Itália.

Aventura online em 2014

Mesmo sem revelar faturamento, a empresa projeta um crescimento de 30% para 2014. Na carona da Copa do Mundo, a Uniagro está investindo na expansão junto a novos mercados e públicos. Entre as metas está o aumento na distribuição de produtos para a Região Sudeste, principal mercado do país, além de foco no público mais jovem.

— Hoje, nosso consumidor tem mais de 24 anos. Entre os jovens, o consumo ainda é incipiente. Tem todo um mercado possível de trabalhar — comenta Isabel de Marchi.

A empresa também planeja para o próximo ano o início das operações na internet. Hoje, as vendas são restritas à forma presencial e ao telefone. O canal online estará disponível tanto para o consumidor final quanto para os 1,3 mil lojistas da carteira de clientes da importadora, entre os quais redes de varejo como Zaffari,

Walmart e Angeloni, de Santa Catarina. A previsão é de que a nova modalidade esteja disponível ao público ainda no primeiro trimestre de 2014.

— Vamos investir bastante também na distribuição, para estar em mais pontos de venda — projeta Isabel.

Perfil

Fundação: 1992

Localização: Porto Alegre

Unidades: Porto Alegre (sede), Esteio, São José (SC), São José dos Pinhais (PR), todos centros de distribuição.

Número de funcionários: 100 (75 efetivos e 25 terceirizados).

Descrição: importadora e distribuidora de alimentos.

Principais produtos: frutas secas, conservas, azeites e especiarias.

Exportações: iniciou vendas de frutas secas para o Paraguai.

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga perfis de Economia no Twitter

  • farina_erik

    farina_erik

    Erik FarinaEspecialista diz que "bolha imobiliária" vai estourar depois da Copa. http://t.co/doxeokf18Whá 13 horas Retweet
  • farina_erik

    farina_erik

    Erik FarinaRT @Leogerchmann: Opositor argentino Sergio Massa, possível candidato presidencial, manteve na Fiesp reunião com empresários brasileiros de…há 1 diaRetweet
clicRBS
Nova busca - outros