Há vagas29/07/2012 | 04h21

Polo naval deve contratar mais de 3,5 mil até o final do ano

O mercado de trabalho está em ascensão nas carreiras de petróleo e gás, mas busca pessoal habilitado e com experiência em Rio Grande

Enviar para um amigo
Polo naval deve contratar mais de 3,5 mil até o final do ano Márcio Gandra,especial/Especial
Sandro Amaral e guindasteiro no Polo Naval de Rio Grande Sandro Amaral trabalha como guindasteiro no Polo Naval de Rio Grande Foto: Márcio Gandra,especial / Especial
Maria Amélia Vargas

maria.amelia@zerohora.com.br

Até o final do ano, pelo menos mais 3,5 mil vagas devem ser abertas no polo naval de Rio Grande para atender aos 11 projetos de construção e expansão de infraestrutura em andamento. E as oportunidades são democráticas: contemplam desde as carreiras operacionais até as atividades extremamente específicas. Em comum, a necessidade de qualificação que habilite o profissional a trabalhar na área de petróleo e gás.

Com previsão de preencher mais 2 mil postos até janeiro de 2013, a Ecovix — que ganhou a concorrência para a construção de oito cascos que explorarão o pré-sal — pretende dobrar o número de funcionários (atualmente são 3 mil) até 2020. De acordo com Carmelo Gonella, responsável pela Integração e Responsabilidade Socioambiental da empresa, as funções com maior número de vagas são as operacionais.

— Oferecemos ainda plano de carreira e possibilidade de crescimento — salienta Gonella.

A Quip — com quatro projetos em andamento — prevê a necessidade de contratar mais 800 pessoas até dezembro. A maioria dos postos exige habilidades técnicas e práticas.

— Trabalho não vai faltar, temos demanda para mais 20 anos. Mas, como nossos projetos têm início, meio e fim, precisamos de pessoal com experiência — afirma Rita de Cássia Feitas Tacanho, gerente de RH da Quip.

Além dos treinamentos oferecidos pelas próprias empresas, é possível qualificar-se por meio de projetos criados pelo governo federal, como o Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp) e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), em parceria com instituições do Sistema S.

Acompanhando a demanda de capacitação para a indústria do polo naval, o Senai-RS inaugurou em agosto passado as instalações do laboratório de soldagem da unidade João Simplício, de Rio Grande. Segundo José Zortéa, diretor regional do Senai, em dois anos a instituição preparou mais de 7 mil alunos.

Entre eles está Sandro Amaral Corrêa, que iniciou na Quip como terceirizado, trabalhando na construção da P-53. No canteiro de obras, conseguiu uma vaga na empresa para a função de motorista. Hoje, seis anos depois de começar a conduzir carros e vans, pilota um equipamento muito mais pesado: é operador de guindaste. Para isso, incentivado por colegas e pela empresa, realizou um curso de 40 horas no Senai.

— O curso foi fundamental para essa evolução. Aprendemos, na prática, os cuidados que temos de ter no manejo, na amarração de cargas e para fazer os contrapesos — conta Corrêa.

Saiba mais

> A agência FGTAS/Sine de Rio Grande tem 740 vagas abertas para cargos operacionais no polo naval, que exigem experiência comprovada na carteira de trabalho. Informações na Rua Marechal Floriano, 5, 2º andar, em Rio Grande, das 8h às 11h30min e das 14h às 17h.

> A Quip prevê contratar mais 800 pessoas até o final do ano. Cadastros de currículos podem ser feitos pelo link Trabalhe Conosco do site da empresa (www.quip.com.br).

> Até janeiro de 2013, a Ecovix estima a abertura de 2 mil vagas. Interessados podem deixar o currículo na Rua Carlos Gomes, 619, centro de Rio Grande, das 8h às 16h. Mais informações no site www.ecovix.com.

> Interessados em participar do Prominp entram no programa por meio de seleção pública e recebem ajuda de custo para fazer os cursos de qualificação profissional, que contemplam todos os níveis de escolaridade. O aluno matriculado tem seu cadastro disponibilizado no banco de currículos no Portal de Qualificação do Prominp (www.prominp.com.br ), que é acessado por empresas do setor de petróleo e gás natural.

> Pronatec é o programa criado pelo governo federal para incentivar os jovens a fazer curso técnico. Oferecidos gratuitamente a trabalhadores, estudantes e pessoas em vulnerabilidade social, os cursos presenciais serão realizados pela rede federal de educação profissional, científica e tecnológica, por escolas estaduais de Educação Profissional e Tecnológica e por unidades de serviços nacionais de aprendizagem como o Senac e o Senai. Informações:

pronatec.mec.gov.br.

> O Senac-RS está com inscrições abertas para os cursos de desembaraço aduaneiro, Siscomex Exportação e Importação — 160 horas e especialização técnica de nível médio em segurança do trabalho na área de petróleo e gás. Mais informações no Senac Rio Grande: telefone (53) 3231-2355, Rua República do Libano, 88.

> O Centro de Educação Profissional Senai João Simplício, em Rio Grande, pode desenvolver programas de capacitação conforme a necessidade da indústria. Informações na Av. Portugal, 184, telefone: (53) 3231-2066 ou no e-mail riogrande@senairs.org.br.

> O Programa de Formação de Recursos Humanos (PFRH), criado pela Petrobras com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), prepara estudantes para atuar no setor de óleo e gás. Entram no programa alunos do ensino técnico, cursos de graduação, mestrado e doutorado. Instituições de ensino de todas as regiões do país, além de terem alguns dos seus alunos escolhidos para receber bolsas de estudo, recebem melhorias com a aquisição de equipamentos, programas de computador, assinatura de jornais e revistas e mais.

> Para as funções no setor de petróleo e gás, além da formação técnica, o profissional precisa de habilitação de aquaviário, que é obtida por meio de curso oferecido pela Marinha do Brasil. A Diretoria de Portos e Costas da Marinha, por meio da Superintendência do Ensino Profissional Marítimo (SEPM) é responsável pela capacitação destes profissionais. Informações no site www.dpc.mar.mil.br.

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga perfis de Economia no Twitter

  • farina_erik

    farina_erik

    Erik FarinaEspecialista diz que "bolha imobiliária" vai estourar depois da Copa. http://t.co/doxeokf18Whá 2 diasRetweet
  • farina_erik

    farina_erik

    Erik FarinaRT @Leogerchmann: Opositor argentino Sergio Massa, possível candidato presidencial, manteve na Fiesp reunião com empresários brasileiros de…há 3 diasRetweet
clicRBS
Nova busca - outros