Polêmica07/05/2012 | 14h55

UFPel suspende concurso após tumulto em sala

Falta de lugares, consulta à internet e celulares foram as reclamações dos candidatos. Vídeos da confusão foram postados na rede

Enviar para um amigo
A Universidade Federal de Pelotas (UFPel) suspendeu o concurso que preencheria 54 vagas de Assistente em Administração, que teve provas realizadas no domingo no sul do Estado. A decisão ocorreu após reunião com o Instituto Saber, empresa contratada para aplicar os exames e foi comunicada no site da instituição.

Segundo a nota, a UFPel recebeu diversas informações referentes a problemas durante a elaboração das provas, além de outros relatos veiculados pelos meios de comunicação. A universidade diz que “há indicação, em uma análise preliminar, de falha grave na execução da prova”. Assim, decidiu por notificar o Instituto Saber para que se manifeste sobre os fatos noticiados. Além disso, a UFPel pede que os candidatos que tiverem interesse poderão apresentar, por escrito, elementos referentes aos fatos.

Apenas após manifestação do Instituto Saber e de obter todas as informações reunidas sobre os fatos, será feita uma análise. A partir daí, a UFPel comunicará aos candidatos sobre o andamento do Processo Seletivo.

Tumulto e internet

Assista vídeo com a confusão na sala de aula onde a prova era realizada



Durante a realização da prova, uma das salas do Campus de Ciências Sociais teve muita confusão. Havia mais candidatos do que lugares disponíveis. De acordo com relato de um dos candidatos, que postou um vídeo da prova na internet, “as nossas provas chegaram com o lacre aberto e foram entregues com o pessoal em pé sem cadeiras pra sentar, pessoas fazendo a prova em grupo, consultando a internet no celular”. Houve reclamações também pela falta de fiscais.

Um fiscal, que não quis se identificar, garantiu que não recebeu qualquer tipo de treinamento. Também não foi orientado a recolher os celulares e concordou que havia poucos em relação ao número de concorrentes.

Ao todo, cerca de 10,6 mil candidatos concorreram às 54 vagas oferecidas. Eles foram divididos em 239 salas. A UFPel afirmou que, “em virtude do processo licitatório utilizado para a realização do concurso, não dispõe de qualquer ingerência na realização do mesmo, desde a etapa das inscrições até a emissão das listagens de aprovados, incluindo-se aí, portanto, a aplicação das provas”.

Procurado pela reportagem de Zero Hora, o Instituto Saber não se manifestou sobre o caso. De sua sede, em Cascavel-PR, foi informado que um representante está em Pelotas tratando a situação. Este representante não atendeu o telefone disponibilizado nem retornou as quatro ligações.

Comentar esta matéria Comentários (3)

Maria Angela

Fui fiscal nesse concurso. Tivemos treinamento no sábado quando foi colocado que o celular era proibido, estava escrito na capa da prova. Tudo isso aconteceu em um prédio da própria universidade.A bagunça tem responsável direto.

08/05/2012 | 07h28 Denunciar

Renato

Não há um ano em que não se houve falar de bagunças desse gênero em concursos. Quando é que os governos vão tomar alguma atitude ??? Há muitas empresas sem condições de preparar provas para concursos. Só no TRE/RS tivemos 2 concursos mal feitos em sequência, o 1o. foi anulado, o 2o. não.

07/05/2012 | 18h43 Denunciar

ANGELOAUGUSTO

por que quando alguem filma sempre tem um celular com uma imagem tão ruim...kkkk

07/05/2012 | 16h30 Denunciar

Siga perfis de Economia no Twitter

  • farina_erik

    farina_erik

    Erik FarinaReal foi a 2ª moeda que mais valorizou em abril: 4,63%. Só fica atrás da Rupia Indonesia (6,41%), mostra consultoria CMA.há 19 horas Retweet
  • blogdavanessa

    blogdavanessa

    BlogdaVanessaResumão tech da semana: http://t.co/3kTKBVkzybhá 2 diasRetweet
clicRBS
Nova busca - outros